Maricá terá primeiro laboratório do MIT no Brasil | Diário do Porto


Tecnologia

Maricá terá primeiro laboratório do MIT no Brasil

Pesquisadora americana Gabriela Bìlá veio a Maricá, para o início da parceria com o principal Instituto de Tecnologia dos EUA

3 de agosto de 2022

Gabriela Bìlá (no centro da foto) representou o MIT em encontros na cidade de Maricá (Foto: Prefeitura de Maricá/ Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


A cidade de Maricá terá o primeiro laboratório do Massachusetts Institute of Technology (MIT) no Brasil. O município recebeu a representante do instituto americano, a pesquisadora Gabriela Bìlá, que fez um ciclo de visitas no local para conhecer projetos da Companhia de Desenvolvimento de Maricá (Codemar). O encontro marca o início de uma colaboração em fase de estruturação entre a cidade e o Media Lab’s City Science, grupo de pesquisa dentro do MIT especializado em novas tecnologias para responder aos desafios do futuro das cidades.

O City Science é conhecido por sua pesquisa em veículos autônomos públicos, mobiliário robótico e simulações urbanas baseadas em agentes e dados. Na América Latina, o instituto investe em apenas 3 laboratórios. Um já existe no México e os outros dois estão sendo desenvolvidos no Chile e, no Brasil, em Maricá. As instituições estão agora trocando informações e o próximo passo será a tramitação jurídica.

O presidente da Codemar, Olavo Noleto, comemorou a parceria com o MIT e espera que a cidade de Maricá continue se desenvolvendo. “Estamos em busca do melhor para Maricá e sua população e sabemos que isso é possível quando encontramos os aliados certos. Ter o MIT conosco nessa busca pelo desenvolvimento é um grande passo rumo ao futuro”, disse.


LEIA TAMBÉM:

Sesc RJ na Estrada mostra beleza do Horto de Volta Redonda

Projeto Aquarius faz 50 anos com show na Praça Mauá

Empresários querem solução imediata para o Galeão


Maricá quer ser referência científica

O contrato de cooperação consiste em montar um laboratório do MIT em parceria com outras universidades. Nesses espaços, os alunos vão compor os núcleos de pesquisas, em áreas que têm interesse, e desenvolver um conjunto de atividades de ciências da cidade, ou seja, desenvolvimento urbano, tecnologia, designer, criatividade e inovação.

Durante a visita, a pesquisadora do MIT, Gabriela Bìlá, conheceu alguns programas da cidade, como os “vermelhinhos” (frota com 115 ônibus e 36 linhas do programa tarifa zero), as “vermelhinhas” (200 bicicletas compartilhadas disponíveis em 20 estações), a moeda social Mumbuca (recebida por 42.500 moradores do programa Renda Básica de Cidadania); Biotec (empresa de biotecnologia); Fazenda Pública Joaquín Piñero e a Maricá Telecom.

Antes de voltar aos Estados Unidos para discutir o que foi visto na cidade, a pesquisadora disse estar empolgada com a cooperação. “Fiquei impressionada com o que vi em Maricá. Principalmente a união entre ciência, tecnologia e bem-estar social. Tenho certeza de que vamos crescer ainda mais juntos”, afirmou.


/