Arquivos Destaques Guia Maravilha | Diário do Porto

Bar do Omar

20 de abril de 2018

Localizado no bucólico e pacato Morro do Pinto, o Bar do Omar é um recanto para quem gosta de cerveja gelada, comida boa e uma vista linda para o Porto Maravilha. Vencedora de diversos prêmios, a casa de Omar Monteiro se apoia na simpatia exuberante do proprietário e nos bons serviços prestados por toda a sua família. Como se tudo isso não bastasse, o local também é palco de rodas de sambas de compositores da Portela e o público que frequenta vem de todos os cantos do Rio de Janeiro.

Restaurante Fim de Tarde

27 de fevereiro de 2018

O Restaurante Fim de Tarde traz para a região do Porto Maravilha os temperos e sabores da cozinha espanhola, aliados a uma adega de vinhos com mais de 100 rótulos.

Yellow Submarine Restaurante

O Yellow Submarine Restaurante é um self-service com cardápio variado e de qualidade. Entre as opções, não faltam pratos leves e veganos, além das opções de carnes e massas. O ambiente é amplo e descontraído. Decoração com referências coloridas e divertidas aos Beatles deixam o restaurante ainda mais original.

Hummburg

O Centro do Rio tem muitas alternativas para almoço e lanches. Mas se você curte mesmo aquele suculento hambúrguer artesanal, todos os caminhos vão te levar ao Hummburg.

Enoteca DOC

A Enoteca conta com uma belíssima adega de vinhos, com 900 rótulos variados. Lá também é possível encontrar boas cervejas, nacionais e importados. O menu à la carte e o clima cordial dos atendentes são nota 10.

L’Atelier du Cuisinier

Ótimos sabores franceses, excelentes produtos brasileiros. O ambiente em L’Atelier du Cuisinier é de petit bistrô francês, com um toque de exclusividade. Atende a apenas 24 comensais por vez e tem atendimento exclusivo do chef, formado na cozinha francesa e com muita experiência no Brasil e no exterior.

Angu do Gomes

3 de janeiro de 2018

O Angu do Gomes é a mais conhecida atração gastronômica do Largo São Francisco da Prainha, ou simplesmente Largo da Prainha, lugar de agitação jovem e de circulação de foliões durante os blocos de rua da região. Além do clássico angu com miúdos, o cardápio tem versões contemporâneas com carne moída, frutos do mar e – yes, nós temos – opção vegetariana. É o que se pode chamar de adequação às novas demandas.

Bodega do Sal

29 de dezembro de 2017

A Bodega do Sal é o coração do agito que resgatou a “sacralidade” boêmia da Pedra do Sal, a partir de 2011. André Peterson, o dono do pedaço, é cozinheiro de mão cheia, além de empreendedor destemido que apostou no local que tem um peso histórico imenso. Afinal, nos séculos 18 e 19 era ali que os escravos faziam o escoamento dos alimentos que chegavam em barcos na Região Portuária.

Imaculada

Na subida do Morro da Conceição, um refúgio no frenético Centro do Rio de Janeiro, o Restaurante e bar Imaculada abre na hora do almoço, mas também é uma ótima opção para o happy hour no Porto Maravilha. Oferece pratos executivos, petiscos inspirados na cozinha brasileira e seleção de cervejas geladas.

Café e Restaurante Gracioso

Com seis décadas, o Restaurante Gracioso se firmou no roteiro da vida boêmia do Rio. Artistas, sambistas e personalidades do Rio Antigo fizeram do bar seu escritório na Zona Portuária. Uma marca da casa foi a criação do bloco de carnaval Escravos da Mauá, referência aos mercados de escravos nos séculos XVIII e XIX.

Sentaí

Fundado em 1950, quando o Rio de Janeiro ainda era capital do Brasil, o restaurante Sentaí se reinventou sem perder o ambiente familiar e a qualidade da cozinha. A casa trocou os tradicionais e gordurosos pratos portugueses por um cardápio mais leve, com frutos do mar e carnes, como picanha e filé mignon.

Restaurante Mosteiro

Acima do nome Mosteiro, na fachada, há cinco estrelas em relevo. Elas são uma boa e justa indicação. Estamos falando de um clássico, talvez o mais histórico deles em se tratando de gastronomia no Rio de Janeiro. A cozinha do Mosteiro é excepcional.

Cine Botequim

Entre outros pratos, encontramos o clássico “Filé de Frango Robin Williams” e o “Mad Max”, um hambúrguer no pão australiano, bacon, queijo, cebola caramelizada e maionese de limão e ervas (R$ 28,90), sucesso de bilheteria. Nenhum item no cardápio tem tanta saída quanto a “liga das coxinhas”.