Palácio Tiradentes (Alerj) | Diário do Porto

Palácio Tiradentes (Alerj)

Desde os tempos do Brasil Colônia, o local onde está hoje o Palácio Tiradentes é um sítio histórico importante para a história do Brasil

Palácio Tiradentes, point histórico do Brasil, pode ser visitado de segunda a sábado
Compartilhe essa notícia:


Desde os tempos do Brasil Colônia, o local onde está hoje o Palácio Tiradentes é um sítio histórico que guarda um grande pedaço da memória política do Brasil. O primeiro edifício ali construído, inaugurado em 1640, ainda no Brasil Colônia, abrigava os três vereadores, eleitos por voto indireto para um mandato de um ano, que cuidavam da cidade e das suas finanças.

Todo o dinheiro da cidade ficava guardado em um cofre chamado “burra”, que só podia ser aberto por três chaves: cada uma ficava com um vereador. No andar de cima, trabalhavam os vereadores. No de baixo, ficava a cadeia. Por isso, o local ficou popularmente conhecido como Cadeia Velha.

Foi lá onde o alferes Joaquim José da Silva Xavier, o Tiradentes, ficou preso, durante três anos antes de ser enforcado no dia 21 de abril de 1792. Quando a Coroa portuguesa aqui chegou, fugindo da invasão napoleônica, em 1808, e se instalou no Paço Imperial, o Parlamento, que nesta época já contava com um número maior de representantes, foi deslocado para outro prédio para dar lugar aos empregados da corte.

Câmara Imperial aprovou Lei Áurea

De volta para a Cadeia Velha, a Câmara Imperial protagonizou momentos memoráveis, como a aprovação da Lei Áurea, em 1888. Em 1922, já em situação precária, a Cadeia Velha foi demolida para dar lugar a um grande palácio, cuja arquitetura lembra muito o Grand Palais, de Paris. Projetado em estilo eclético por Archimedes Memória e Francisco Couchet, o Palácio Tiradentes foi inaugurado em 6 de maio de 1926 para abrigar a Câmara Federal.

Grupos de visitantes conhecem as instalações do Palácio Tiradentes
Várias instalações do Palácio Tiradentes podem ser visitadas

Enquanto a Câmara funcionou no Tiradentes, entre 1926 a 1960, todos os presidentes do período tomaram posse ali, de Washington Luiz a Juscelino Kubitscheck. Empossados, saudavam e discursavam da varanda do Salão Nobre para o povo, que lotava as escadarias.


VEJA TAMBÉM:

Palácio Itamaraty – Museu Histórico e Diplomático

Paço Imperial

Sentaí


Parlamento fechado no Estado Novo

Em 1937 a 1945, durante o Estado Novo, o Parlamento foi fechado pelo presidente Getúlio Vargas, e o Palácio Tiradentes passou a abrigar o Ministério da Justiça e o Departamento de Imprensa e Propaganda (DIP), órgão de censura do regime.

Em 1960, quando da transferência da capital para Brasília, o Palácio Tiradentes passa a abrigar a Assembleia Legislativa do Estado da Guanabara (Aleg). Quinze anos depois, com a fusão dos estados da Guanabara e do Rio de Janeiro, surge a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ), que ali permanece até os dias atuais.

De segunda a sábado, mais detalhes dessa rica história pode ser conhecida na exposição Palácio Tiradentes: Lugar de Memória do Parlamento Brasileiro.Trata-se de um tour pelo palácio, incluindo o Plenário Barbosa Lima Sobrinho, a biblioteca, a Sala de Imprensa Tim Lopes e as galerias destinadas ao povo.