Witzel quer aeroporto em local que atrai empresas | Diário do Porto


Investimentos

Witzel quer aeroporto em local que atrai empresas

Seropédica já tem grandes empresas, como BRF, P&G e Golgi, um condomínio logístico construído com investimentos de fundo do Canadá

11 de outubro de 2019

O saber produzido na UFRRJ é um diferencial do Seropédica (UFRRJ)

Compartilhe essa notícia:


A intenção de construir um aeroporto exclusivo para cargas em Seropédica, na região metropolitana do Rio, foi anunciada pelo governador Wilson Witzel durante o evento Movimento Rio em Frente, na Fecomércio RJ. Ele diz que a construção é do interesse de grandes investidores e empresas, pois o futuro aeroporto se conectaria com a ferrovia e com as rodovias (Arco Metropolitano e Via Dutra), um grande chamariz para investimentos.

Essas vantagens logísticas de Seropédica não são um discurso para o futuro. No município está sendo construída uma unidade da BRF (detentora das marcas Sadia e Perdigão). A Procter & Gamble (P&G) anunciou no ano passado um investimento de R$ 280 milhões para ampliação de sua fábrica local.

A presença da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) é um diferencial para a região. Ela tem o maior campus da América Latina, com 3 mil hectares, estabeleceu as bases do ensino agropecuário no país, tem mais de 40 cursos de graduação e 35 de pós-graduação.

Desde 2016 funciona em Seropédica o Condomínio Logístico Golgi Seropédica, voltado para o manejo de cargas, erguido numa sociedade entre os grupos Autonomy Investimentos e o Cadillac Fairview, esse último constituído por um dos maiores fundos de pensão do mundo, o Ontario Teachers Pension Plan.

galpões da Golgi em Seropédica
A Golgi, em Seropédica, é um condomínio logístico com 90 mil m² já alugados (foto: divulgação)

O fundo é um investidor global que garante as aposentadorias tranquilas de mais de 327 mil professores ativos e aposentados do Canadá. No final do ano passado, tinha US$ 191,1 bilhões em patrimônio líquido.

Recentemente, essa mesma dupla de investidores realizou a compra do Moinho Fluminense, uma das principais construções da Região Portuária, mostrando o quanto o Rio de Janeiro tem de importância estratégica para seus planos de expansão. Ao lado do Moinho, o Autonomy já era dono do Vista Guanabara, um dos mais modernos edifícios da cidade, ocupado por grandes empresas nacionais e estrangeiras.


LEIA TAMBÉM:

Programa Hortas Cariocas é reconhecido na Europa

Roda gigante: centenas de pessoas buscam emprego

labGov.RIO quer ser um grande centro de inovação no Porto


Em operação há três anos, o Golgi Seropédica, está situado em um terreno com 522 mil metros quadrados, a 2 quilômetros do entroncamento da Dutra com o Arco Metropolitano. Tem toda a infraestrutura para o apoio ao transporte por caminhões, com galpões, vestiários, restaurante e um alto sistema de segurança.

Por enquanto foi realizada apenas a primeira fase do projeto, e cerca de 90 mil metros quadrados de área construída já estão alugados, mas há previsão para expansão até 241 mil metros quadrados. Tudo depende da recuperação do cenário econômico e de ações governamentais estruturantes. O aeroporto do governador, se sair do papel, será com certeza um estímulo considerável.

A Golgi é uma incorporadora, atualmente proprietária de 4 grandes empreendimentos logísticos que somam 630.000 metros quadrados de área locável: Golgi Seropédica (RJ), Golgi Jundiaí (SP), Golgi Mauá (SP) e Golgi Duque de Caxias (RJ).

A Cadillac Fairview é um dos maiores proprietários, operadores e desenvolvedores de prédios de escritórios, varejo e uso misto nos EUA, México e Canadá. O portfólio também inclui investimentos em imóveis no Brasil e Colômbia.  Só no território canadense, o grupo possui 68 grandes propriedades, avaliadas em cerca de US$ 31 bilhões.


/