Witzel diz que combate às milícias é prioridade | Diário do Porto


Política

Witzel diz que combate às milícias é prioridade

Governador Wilson Witzel anunciou R$ 20 milhões para campanha de turismo, durante evento na Fecomércio. Ele confirmou construção de mega resort em Maricá

30 de setembro de 2019

Governador Wilson Witzel disse que vai desestruturar "as máfias que agem no Estado" (foto: Agência Brasil)

Compartilhe essa notícia:


O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, disse que o combate às milícias é uma prioridade de sua gestão e que prepara uma grande ação para desestruturar “as máfias que agem no Estado”. As declarações foram feitas durante a abertura do seminário Movimento Rio Em Frente, evento promovido pela Fecomércio RJ e o jornal O Dia.

Ele anunciou o uso de R$ 20 milhões em uma campanha publicitária para a promoção do Rio como destino turístico e disse que isso só se tornou possível porque houve melhora nos índices de segurança. “Estamos recuperando a credibilidade do nosso Estado para novos investimentos e para a atração de visitantes”, afirmou o governador.

Witzel não se referiu diretamente à morte recente da menina Ágatha Félix, 8 anos, baleada nas costas, no Complexo do Alemão. Mas comentou que a política de segurança envolve as ações ostensivas da Polícia Militar e o trabalho policial de investigação e inteligência contra o crime organizado. “Nossa maior preocupação é a segurança das pessoas”, discursou.

Continuando sua ênfase no setor de turismo, que envolve hotéis, restaurantes , agências de viagem e outras empresas prestadoras de serviços, representadas pela Fecomércio RJ, o governador disse que a American Airlines e a Air France vão retomar voos diretos do Rio para os EUA e Europa, no fim do ano, e que espera que outras companhias façam o mesmo.


LEIA TAMBÉM:

CSN é acusada de poluir rio Paraíba do Sul, no RJ

Rock in Rio lota hotéis e movimenta R$ 1,7 bilhão

Temporada de cruzeiros traz 11,8% a mais de turistas


O retorno ou a criação de novos voos diretos a partir do Rio é uma das reivindicações do setor de turismo, que viu nos últimos dois anos o encerramento de rotas no Galeão e a transferência de operações para São Paulo. Witzel acredita que a redução do ICMS de 13% para 7% no combustível de aviões, recentemente anunciada por seu governo, será um atrativo para as empresas aéreas.

O governador disse que está concluindo estudos para a implantação de um aeroporto dedicado apenas à movimentação de cargas, na cidade de Seropédica, com integração à ferrovia e à rodovia do Arco Metropolitano.  Não ficou  claro como  irá conciliar a nova infraestrutura com a já existente no Galeão.

Witzel anunciou que já houve uma decisão firme pela construção de um mega resort em Maricá,  um investimento de R$ 11 bilhões que um grupo espanhol quer fazer em uma Área de Proteção Ambiental naquela cidade. Ele disse que sua equipe de governo está ajudando os investidores a conseguir as licenças necessárias às obras, que devem começar no próximo ano. O projeto sofre a resistência de ativistas, que temem pelo ecossistema de restinga e por uma comunidade de pescadores que vive na área desde o século 18.

Entre suas promessas, o governador incluiu a determinação de organizar as finanças e o setor de planejamento, dando fim ao que ele chamou de caos administrativo no Rio de Janeiro. “Vou deixar um Estado organizado, muito diferente da situação em que o encontrei. Vou deixar para mim mesmo, caso seja reeleito em 2022, ou para meu sucessor”, afirmou Witzel numa rara oportunidade em que admitiu tentar a reeleição. Anteriormente, sua insistência em se colocar como candidato à Presidência da República havia causado desconforto entre apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.


/