Websérie da Firjan debate energia eólica offshore no Rio | Diário do Porto


Energia

Websérie da Firjan debate energia eólica offshore no Rio

Debate promovido pela Firjan em parceria com o Consulado Holandês analisa o potencial de produção de energia eólica offshore no norte fluminense

20 de setembro de 2021

Firjan debate produção de energia eólica offshore no Rio (Foto: Aker Solutions)

Compartilhe essa notícia:


A Websérie Firjan Novas Energias promove amanhã, terça-feira, a partir das 10h, debate sobre potenciais projetos de eólicas offshore no estado do Rio de Janeiro e a necessidade de regulação desses investimentos. Em parceria com o Consulado da Holanda, país referência no tema, esta será a terceira edição do evento on-line sobre um assunto que tem despertado mais interesse dos investidores.

Conforme levantamento produzido pela federação, somente no estado do Rio foram anunciados cinco potenciais empreendimentos em fazendas eólicas offshore. Juntas, elas podem alcançar a capacidade instalada de mais de 15 GW, quase que a capacidade total instalada no Brasil hoje, que chegou ao 17,7 GW. O tema é estratégico em um momnento em que o Brasil passa por um grave crise hídrica que pode causar sérios impactos na capacidade de produção energética do País.

Os empreendimentos mapeados estão localizados no norte do estado fluminense. São eles: Bosford Participações (Fazenda Eólica Offshore Ventos Fluminenses – 2,8 GW); Equinor (Parques Eólicos Aracatu I e Aracatu II – 2 GW cada, alcançando o litoral do Espírito Santo); Neoenergia (Complexo Maravilha – 4 parques com 750 MW cada); Ocean Winds (Parque Eólico Ventos do Atlântico – 5 GW); e Porto do Açu (Complexo Eólico Marinho Ventos do Açu – 4 parques com 540 MW cada).

Firjan quer regulação com regras claras

Para viabilizar a implantação dos projetos, há a necessidade de se estabelecer regras claras e um ambiente de negócios favorável. No caso do licenciamento ambiental, uma das etapas de qualquer empreendimento desse porte é a elaboração do estudo ambiental. No âmbito federal, o Ibama implantou um Termo de Referência (TR) Padrão para Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/Rima) de Complexos Eólicos Marítimos. A iniciativa contribui não só com a velocidade do andamento do projeto, mas também reduz risco para investidores.

A federação avalia ser necessário aprofundar o conhecimento das regulações como um todo, uma vez que projetos de fazenda eólica offshore têm sinergia com o ambiente de petróleo. “A energia produzida no ambiente marítimo, usando o vento como fonte, pode ser transferida e utilizada para plataformas que não têm mais capacidade de geração elétrica, por exemplo”, destaca a gerente de Petróleo, Gás e Naval da Firjan, Karine Fragoso.

Desta forma, o webinar discutirá as perspectivas dos projetos de eólicas offshore e a necessidade da regulação. Veja abaixo a programação do evento.

Evento on-line

21/9 – 10h

Participantes: Raphael Moura (Diretor da ANP); Niels Veenis (Cônsul-Geral Adjunto e Chefe do Setor de Energia – Brasil do Consulado Geral dos Países Baixos no Rio de Janeiro e Sandoval Feitosa (Diretor da ANEEL)

Mediadores: Fernando Ruschel Montera (Coordenador de Relacionamento Petróleo, Gás e Naval da Firjan) e Tatiana Lauria Vieira da Silva (Especialista em Estudos Econômicos da Firjan)

A transmissão será pelo Youtube da Firjan: https://www.youtube.com/watch?v=eRkzGToQa


LEIA TAMBÉM:

A Noite recebe ofertas no Feirão de Imóveis da União

Feira de São Cristóvão completa 76 anos

Privatização do Santos Dumont é acelerada pelo Governo