Volkswagen Caminhões, de Resende, investirá R$ 2 bi | Diário do Porto


Investimentos

Volkswagen Caminhões, de Resende, investirá R$ 2 bi

Fábrica da Volkswagen Caminhões e Ônibus chegou a 5.000 empregados, no último ano. Montadora fará investimentos em Resende e nos pontos de venda no exterior

4 de janeiro de 2022

Volkswagen contratou 550 empregados, em 2021, para a fábrica de Resende (foto: Volkswagen Caminhões e Ônibus / Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


A Volkswagen Caminhões e Ônibus anunciou que investirá R$ 2 bilhões até 2025 em sua estratégia de ampliar mercados e a produção de sua fábrica em Resende, no Sudoeste do Rio. A montadora fechou o ano passado com cerca de 5.000 trabalhadores na unidade, incluindo os que trabalham nas empresas que integram seu Consórcio Modular de produção.

Desde o início da pandemia, a Volkswagen Caminhões e Ônibus contratou cerca de 1.000 profissionais, o que significa um crescimento de 25% nos últimos dois anos. Parte desse crescimento ocorreu para o desenvolvimento do e-Delivery. Lançado oficialmente no último mês de julho, esse é o primeiro caminhão elétrico desenvolvido no Brasil a entrar em linha de produção em série.

O e-Delivery se tornou um sucesso de vendas logo no início e todas as primeiras 200 unidades foram vendidas no primeiro mês, para clientes nacionais. Agora, a montadora iniciará a fase de testes em outros países da América Latina, que irão receber os caminhões elétricos feitos em Resende.

Volkswagen quer ampliar mercado no Brasil e no exterior

Para dar conta também do aumento de produção da linha à diesel, a Volkswagen anuncia que começa o ano restabelecendo um segundo turno completo na linha de montagem. Com isso, espera ampliar sua participação de mercado que, no Brasil, em 2021, chegou a 30% dos emplacamentos de caminhões novos e a 27% dos ônibus.

Esses índices são comemorados por Roberto Cortes, presidente e CEO da Volkswagen Caminhões e Ônibus. “Demos início à nossa operação em Resende há 25 anos com apenas 100 empregados. Atualmente, superamos os 5.000 profissionais, que vão muito além da produção dos caminhões e ônibus Volkswagen em circulação em mais de 30 países. Construímos aqui nosso centro mundial de pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias, que é referência mundial. Abrigamos em nosso fábrica o maior polo de eletromobilidade da América Latina e continuamos expandindo nossos negócios”, afirma.

A montadora espera neste ano fazer suas primeiras exportações para a Ásia, tendo as Filipinas como ponto inicial das vendas. De acordo com a Volkswagen, as exportações serão concentradas em 10 modelos produzidos em Resende, incluindo as famílias Delivery e Constellation, para caminhões, e Volksbus, para ônibus. As primeiras 40 unidades já estão vendidas naquele país.


LEIA TAMBÉM:

Covid cancela cinco cruzeiros no Porto do Rio

Alerj impede aumento abusivo do gás pela Petrobras

Maricá “exporta” moeda social para Niterói