VLT vai encontrar o BRT na Região Portuária | Diário do Porto


Mobilidade

VLT vai encontrar o BRT na Região Portuária

Prefeitura vai construir terminal do VLT no gasômetro, na Região Portuária, para fazer integração com o Corredor BRT TransBrasil

9 de abril de 2021

Viaduto da BRT Transbrasil, no Caju (Foto: Marcos de Paula/Prefeitura do Rio)

Compartilhe essa notícia:


A Prefeitura anunciou planos para integração entre VLT e BRT na Região Portuária. De acordo com o prefeito Eduardo Paes, o corredor BRT Transbrasil, que liga Deodoro à Rodoviária do Rio, será integrado ao VLT, que levará os passageiros até o Centro. Esse terminal será construído em parte do terreno do gasômetro. E os trilhos do VLT serão estendidos até lá.

A ideia inicial era que o BRT Transbrasil chegasse até o Centro do Rio, mas há questões técnicas que dificultaram a definição do trajeto final e atrasariam uma obra que já deveria ter sido inaugurada há anos. A medida é uma solução inovadora para a mobilidade do carioca, substituindo a cultura de ônibus demais circulando por todos os cantos de um centro engarrafado.

“A gente queria começar as obras em março, mas, com a revisão do projeto para corrigir problemas, em razão desses ajustes, vamos aguardar um pouco. Mas a meta de acabar as obras do Transbrasil no fim de 2022 está mantida”, afirmou Paes.

 


LEIA TAMBÉM

Comércio precisa de apoio para sobreviver a isolamento

Governo promete melhorar estradas do Rio

A Noite tem venda adiada para 30/4


Obras do BRT só terminam em 2022

Durante o anúncio, o prefeito admitiu o atraso nas obras do corredor Transbrasil, mas disse que a expectativa de conclusão até 2022 se mantém. Quatro estações entre Deodoro e o Trevo das Margaridas, que haviam sido retiradas, também serão reimplantadas ao projeto.

A secretária municipal de Transportes, Maína Celidonio, informou que estações do BRT na Avenida Brasil receberão projetos urbanísticos para ficarem mais confortáveis para o usuário. Alguns pontos de ônibus também serão aproximados das estações para facilitar a conexão.

Atualmente, dos 297 ônibus articulados do BRT, apenas 120 estão circulando nos corredores Transoeste, Transolímpica e Transcarioca. Os demais estão inoperantes ou precisam de um prazo longo de recuperação.  Segundo a Prefeitura, a intervenção no BRT deve custar aos cofres públicos R$ 133 milhões para recuperação do sistema.


/