VLT passa a se integrar a trem, barcas, vans e ônibus intermunicipais | Diário do Porto


Mobilidade

VLT passa a se integrar a trem, barcas, vans e ônibus intermunicipais

Viagens realizadas no Veículo Leve Sobre Trilhos estarão integradas ao Bilhete Único Intermunicipal a partir de segunda-feira (10). Será possível embarcar em ônibus, barcas, trem ou van legalizada e no VLT na sequência, para se deslocar pelo Centro pagando a tarifa máxima de R$ 8,55. Se embarcar em trem e VLT (total de R$ 8), ainda é possível embarcar nas barcas

6 de setembro de 2018

O VLT é uma ótima opção para chegar na Praça Mauá

Compartilhe essa notícia:


VLT passa a aceitar Bilhete Único Intermunicipal, facilitando o acesso a outros modais (Foto: Alexandre Macieira/Riotur)
VLT passa a aceitar Bilhete Único Intermunicipal, facilitando o acesso a outros modais (Foto: Alexandre Macieira/Riotur)

Usar o VLT vai ficar mais fácil para quem se desloca de outros municípios para a Zona Portuária e a região central do Rio. Após ser aprovada pela Assembleia Legislativa e sancionada pelo governador Luiz Fernando Pezão, a lei que inclui o Veículo Leve sobre Trilhos no Bilhete Único Intermunicipal passa a valer a partir de segunda-feira, dia 10 de setembro. Com isso, será possível embarcar em ônibus e vans legalizadas intermunicipais, trem ou barcas e também no VLT, pagando até R$ 8,55, no período de até três horas.

De acordo com a concessionária que administra o VLT, os usuários poderão usar o transporte depois de outros modais e vice e versa, com direito à integração. O intervalo para a conexão deve ser de até três horas.  Assim será possível, por exemplo, embarcar em um ônibus, barcas ou trem, e no VLT na sequência, para se deslocar pelo Centro, pagando a tarifa máxima de R$ 8,55.

De acordo com as regras vigentes no Bilhete Único Intermunicipal, nos casos em que a soma de tarifas for inferior a esse valor, não se configura o aproveitamento do benefício e o usuário ainda manterá o direito a uma conexão. Ou seja, o passageiro que pegar trem e VLT, cuja soma de passagens é R$ 8,00, tem direito a viajar nas barcas em seguida pelo valor da integração.

A empresa lembra que o VLT já possui integração com os ônibus municipais no Rio de Janeiro e entre linhas do VLT. Usando duas vezes o mesmo modal, o passageiro paga o valor de uma passagem (R$ 3,80). Se usar  VLT mais ônibus municipal, o valor é de R$ 3,95, usando o Bilhete Único Carioca.

Projeto aprovado na Alerj

A entrada do VLT foi aprovada em votação na Assembleia Legislativa na última semana (veja aqui). O Projeto de Lei 3.696/2017 foi aprovado em plenário e sancionado pelo governador, sendo publicado nesta quinta-feira (6), em Diário Oficial. Ele altera a redação da Lei 5.628/2009, que dita as orientações de uso do bilhete intermunicipal, e passa a incluir o VLT entre os sistemas integrados.

“O VLT tem um posicionamento estratégico no Centro do Rio, e o BUI poderá potencializar sua utilização integrada aos sistemas de Barcas, na Praça XV, e de trem, na Central do Brasil. Foi uma decisão acertada, que trará benefícios à população — ressaltou o secretário de Estado de Transportes, Rodrigo Vieira, ao jornal ‘O Globo’.

Para Marcio Hannas, presidente do VLT Carioca, a entrada no Bilhete Único Intermunicipal é um ganho para a mobilidade urbana do Rio e para os usuários do transporte público. “Consideramos que a aprovação da medida, além de cumprir uma condição prevista em projeto, será um atrativo de demanda no médio prazo. E facilitará os deslocamentos no Centro da cidade, já que o VLT, por vocação, é um modal de conexão e atualmente se integra a todos os sistemas que fazem parte do Bilhete Único”, explica.

Como utilizar

Ainda de acordo com a concessionária, para ter direito às tarifas de integração, é preciso ter o cartão de passagem RioCard cadastrado no sistema do Bilhete Único Intermunicipal, associado ao CPF do usuário e dentro das regras de concessão do benefício (idade e renda, por exemplo). No site do Riocard é possível esclarecer todas as dúvidas sobre o Bilhete Único Intermunicipal (veja aqui).

Fonte: VLT Carioca, com Redação


/