VLT, metrô e trens perdem R$ 3,3 bi | Diário do Porto

Mobilidade

VLT, metrô e trens perdem R$ 3,3 bi

Operadores do VLT e dos dois transportes de massa intensificaram combate ao vírus e contam com a população para garantir um transporte com mais segurança

29 de junho de 2020
Metrô vazio devido à pandemia. Prejuízo é grande também no VLT e na Supervia (Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


A redução de passageiros na pandemia levou o sistema de transporte por trilhos do país – metrô, trens e VLT – a perder R$ 3,3 bilhões da receita tarifária. A quantia refere-se ao período de 15 de março a 15 de junho. Na última quinzena de março, a redução foi de R$ 500 milhões; no mês de abril, de R$ 1,1 bilhão; e, em maio, de cerca de R$ 1 bilhão.

Os números são da Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros sobre Trilhos (ANPTrilhos), que estimou os impactos da pandemia. Os efeitos são sentidos em todo o país. No Rio, Supervia, MetrôRio e VLT Carioca amargam um prejuízo de proporções históricas e dramáticas.

 


LEIA MAIS

Transporte clandestino cresce na pandemia e traz riscos a passageiros

Bonde de Santa Teresa volta a funcionar com novas regras

VLT Carioca faz dois anos com crescimento de 85% de público

 


 

Os sistemas de transportes por metrô, trens e VLT têm transportado apenas 33% do número de passageiros registrado antes da crise do novo coronavírus. Alguns deles atenderam apenas 6% da demanda habitual.

Os operadores se desdobram nas ações de combate ao vírus. “A limpeza e a higienização dos trens e estações foram intensificadas, e é importante que os passageiros também contribuam, usando máscaras e seguindo as orientações de segurança”, destaca o presidente do Conselho da ANPTrilhos, Joubert Flores.