Carnaval

Vila Isabel abusa do luxo para cantar Petrópolis

Escola fez um dos desfiles mais caros de 2019. O carnavalesco Edson Pereira apresentou a história da cidade, começando antes do Império. Veja as fotos

6 de março de 2019
Vila Isabel lembrou a Lei Áurea e saiu aos gritos de "é campeã" (fotos de Aziz Filho)

Compartilhe essa notícia em sua rede social:

A Vila Isabel fez um dos desfiles mais luxuosos de 2019, na noite de segunda-feira, para contar a história de Petrópolis. O enredo começou antes do período imperial e veio até os dias atuais da charmosa cidade da Região Serrana. Os carros imponentes impressionaram o público, que saudou a escola gritos de “é campeã”. O abre-alas foi um dos mais impressionantes, reproduzindo uma carruagem imperial de 60 metros de comprimento, com três carros acoplados.

O problema maior da escola foi ter passado um minuto do tempo permitido, em 1h16. Segundo o regulamento, para cada minuto a mais, a escola perde um décimo.

O carnavalesco do enredo “Em nome do Pai, do Filho e dos Santos, a Vila canta a cidade de Pedro” foi Edson Pereira. Outro carro muito notado foi o “Paraíso coroado”, que retratou o meio ambiente e os índios antes da construção da cidade. Pelo enredo, dá para entender perfeitamente como D. Pedro I apaixonou pela região, onde seu filho, Pedro II, inaugurou a casa de verão da família imperial.

A atriz Sabrina Sato, rainha de bateria, representou a Leopoldina, primeira Maria Fumaça entre Petrópolis e o Rio de Janeiro. A chegada de alemães, italianos e franceses, assim como a estrada de ferro Mauá, a primeira do Brasil, foram lembrados no carro “Nos trilhos da modernidade”.

O Hotel-Cassino Quitandinha de Petrópolis, que recebeu personalidades mundiais como Walt Disney, foi retratado no carro “Palácio Hollywoodiano”, muito luxuoso.

O último carro, “Liberdade enfim raiou!”, lembrou a Lei Áurea. O documento que libertou os escravos foi assinado pela Princesa Isabel no Palácio de Cristal de Petrópolis, em 1888. Neste carro estavam parentes da vereadora Marielle Franco (a mãe, Marinete, o pai, Antônio, e a irmã, Anielle), junto à imagem de Princesa Isabel, com uma faixa “Marielle presente”. A vereadora, assassinada em março do ano passado, foi homenageada pela Mangueira também.

O DIÁRIO DO PORTO fotografou algumas cenas do desfile. Confira.

 


VEJA TAMBÉM:

Portela emociona cantando Clara Nunes. Veja fotos

Tuiuti: prêmio para enredo que critica políticos e armas

Mangueira 2019 conta o outro lado da História

Saiba mais sobre a Vila Isabel, no Guia Maravilha


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Compartilhe essa notícia em sua rede social: