Vem aí a 4ª edição do festival Ler, no Porto Maravilha | Diário do Porto


Literatura

Vem aí a 4ª edição do festival Ler, no Porto Maravilha

Começa nesta segunda-feira 9 o Festival Ler, no Porto Maravilha. Saiba quais são os autores mais badalados e confira programação completa

9 de maio de 2022

O festival LER vai ocupar mais espaços do Píer Mauá nesta edição (Foto Divulgação/LER)

Compartilhe essa notícia:


O evento Ler volta ao Píer Mauá, no Porto Maravilha, entre 9 e 15 de maio, das 14h às 21h. Em sua 4ª edição, o festival promove debates com os autores Valter Hugo Mãe, Eduardo Bueno, José Eduardo Agualusa e atividades interativas com foco na literatura infanto-juvenil. Entre outros convidados ilustres estão Thalita Rebouças, Thiago Lacerda, Lenine, Maitê Proença e Camila Pitanga. Esta edição será maior e mais longa: vai ocupar os armazéns Armazéns 3, 4 e 5 do Píer Mauá e o entorno do Porto Maravilha. A expectativa é atrair 200 mil pessoas, a maior parte estudantes e professores.

O festival celebra a língua portuguesa e joga luz sobre a educação com inúmeras atividades, por meio de temas, ferramentas, ações, projetos e ideias. “A Ler foi criada para estimular a paixão pela leitura, desde a infância, e traz ainda atrações interativas. Clássicos da literatura viram peças de teatro; músicos e circo encantam os leitores; exposições interativas misturam artes plásticas, audiovisual, moda e tecnologia. É um grande encontro que reúne autores de todas as vozes, livrarias, editoras de todo o país, tecnologia e muito mais”, explica Jerônimo Vargas, diretor da Ler. Haverá oficinas, conversas, saraus, contação de histórias, intervenções poéticas, peças teatrais, exposições, homenagens e bate-papos com autores.

Dos quadrinhos à poesia, dos manuscritos aos digitais, dos clássicos às publicações de vanguarda, a 4ª edição do festival Ler oferece programação multicultural em torno da paixão transformadora da literatura. “Vejo a Ler como uma grande oportunidade para recuperarmos o que tem sido perdido ultimamente: o diálogo, a troca de ideias, a inspiração mútua”, comemora Julio Silveira, um dos curadores. A acessibilidade e a inclusão também são pontos fortes do evento, que trabalha em todas as suas edições atividades com leituras em braile e em libras, visitas guiadas e a confecção de livros sensoriais. responsáveis.

Curadorias presentes no festival Ler:

A curadoria de Jackson Jacques para o Voz & Vez contempla as personalidades que usam suas vozes em prol de uma produção de conteúdo em diálogo estreito com a juventude. Utilizando da linguagem literária e de criação ficcional nas diversas linguagens culturais como música, literatura e produção de conteúdo em rede, Thalita Rebouças, Elayne Baeta e o Pastor Henrique Vieira são alguns dos destaques do Voz & Vez.

O Ler em Movimento, com a curadoria de Gisele Lopes, promove atividades de fomento à leitura pela valorização da diversidade cultural. A ideia é disponibilizar bens culturais e oportunidades de vivenciar o fazer artístico por meio de encontros, palestras, oficinas, saraus e apresentações.

A cultura pop e geek mainstream não ficam de fora. Com curadoria de Henrique Granado, o Palco Geek vai reunir os fãs do pop e geek mainstream, dialogando com a temática nerd que tomou conta das produções literárias, audiovisual, games, como Harry Potter, Star Wars, Star Trek e mais.

O Labirinto dos Livros, um espaço destinado para contação de histórias e interação com público infantil, também estará presente.


Leia também:

Teatro II do CCBB faz “Viagem ao Centro da Terra”

Arcos da Lapa quase prontos para cariocas e turistas

No MAR, Enciclopédia Negra dá rosto a negros invisíveis


Outro destaque é o encontro Ler do Educador para professores, diretores e mediadores de leitura. A programação conta com diferentes autores e profissionais de áreas diversas e multidisciplinar. Com cinco dias de duração e acontecendo simultaneamente à LER – Festival do Leitor, entre os dias 9 e 13 de maio, das 14h às 21h, o Encontro LER do Educador reforça do pilar do livro como instrumento de transformação.

Serão discutidos temas que promovem apoio e reflexão para os professores junto a seus alunos, como: o panorama geopolítico por meio da literatura com Luciana Savaget; os desafios da educação de jovens e adultos com Carla Faour; Rodrigo França e Jonathan Raymundo dissecam a questão do pretagonismo (neologismo que coloca os negros no centro da discussão social e política); Alexandre Cherman desmistifica as exatas; e Mona Vilardo aborda os encontros da música e literaturas, entre outros.

Para mais mais informações: