Veja sugestões da Fecomércio RJ para proteger 'vidas e empregos' | Diário do Porto

Comércio

Veja sugestões da Fecomércio RJ para proteger ‘vidas e empregos’

Presidente da Fecomércio RJ enumera ações que seriam mais eficientes do que o lockdown para reduzir contaminações sem quebrar empresas

20 de março de 2021


Presidente da Fecomércio RJ cobra ações sanitárias e proteção aos empregos


Compartilhe essa notícia:


A eminência de um novo Lockdown no Rio de Janeiro levou a Fecomércio RJ a fazer um apelo aos governantes para que, antes da medida radical, adotem ações sanitárias rigorosas. O comércio não suportará um novo fechamento, afirmou o presidente da Fecomércio RJ, Antonio Florencio de Queiroz Junior, ao defender medidas que protejam a vida e a saúde dos cidadãos sem promover uma onda de desemprego em função da falência dos negócios.

Em vídeo no Youtube, Queiroz citou uma pesquisa do Instituto de Pesquisa da Fecomércio RJ para dizer que o setor do comércio de bens, serviços e turismo não suporta um novo fechamento. Ele enumerou uma série de protocolos sanitários que poderiam ser exigidos pelas autoridades para garantir a saúde dos cidadãos “sem inviabilizar as empresas e causar prejuízos à renda da população”. Os novos protocolos sugeridos, além dos já existentes, são as seguintes:

  • Ampliação do distanciamento entre os indivíduos
  • Limitação da capacidade de acesso aos estabelecimentos
  • Rodízio de empregados
  • Realização de controle de entrada e saída de pessoas dos estabelecimentos
  • Escalonamento dos horários de entrada e saída dos trabalhadores dos setores produtivos.

A implementação do lockdown de forma isolada, segundo o presidente da Fecomércio RJ, “não se afigura como suficiente para conter a contaminação da doença”. No vídeo, ele pergunta quais são as medidas que serão efetivamente implementadas no combate à Covid 19 durante o período de restrição máxima afim de evitar outros fechamentos e garantir a segurança no dia a dia da população. “Serão abertos novos leitos para o atendimento dos infectados? Será ampliada a capacidade de vacinação da população?

A restrição ao comércio, na opinião de Queiroz, deve estar atrelada a outras para garantir o pagamento de salários, a sobrevivência da empresas e a arrecadação. São elas:

  • A proibição do corte de serviços essenciais como energia, água e gás
  • Suspensão e postergação do pagamento de impostos municipais, estaduais e federais
  • Auxílio para pagamento da folha salarial
  • Autorização para comunicação de férias com 48 horas de antecedência
  • Possibilidade da suspensão e da redução da jornada de trabalho
  • Acesso facilitado a linhas de crédito, com carência para início de pagamento e parcelamento com isenção de juros e correção monetária
  • Suspensão da negativação dos cadastros restritivos de crédito
  • Suspensão dos protestos de títulos de dívidas adquiridas durante a pandemia
  • Redução dos impostos relativos a produtos da cesta básica
  • Suspensão da cobrança dos empréstimos contraídos pelas linhas disponibilizadas durante a pandemia.

Assista ao vídeo do presidente da Fecomércio RJ clicando aqui

.


Leia também:

Deputados do Rio querem fortalecer indústria naval do Estado

Caixa Econômica teve recorde em crédito imobiliário, em 2020

Pandemia não desvalorizou imóveis no Rio. Veja ruas mais caras