Vazamento de óleo contamina praia da Ilha do Governador | Diário do Porto


Meio Ambiente

Vazamento de óleo contamina praia da Ilha do Governador

Movimento Baía Viva recebeu denúncia de vazamento de óleo na Praia da Bandeira. ONG acionou Inea e pediu vistoria técnica do órgão no local

20 de janeiro de 2022

Flagrante de vazamento de óleo no feriado na Praia da Bandeira, na Ilha do Governador (Nycolas Santana/Ilha Notícias)

Compartilhe essa notícia:


O Movimento Baía Viva, ONG dedicada à preservação da Baía de Guanabara, recebeu na tarde desta quinta-feira denúncia de vazamento de óleo na Praia da Bandeira, na Ilha do Governador. O flagrante foi feito pela reportagem do jornal “Ilha Notícias”, veículo especializado na cobertura da região da Zona Norte da cidade. Há relatos também da presença do produto na vizinha Praia de Engenhoca.

O movimento informou o fato ao presidente do Instituto Estadual do Ambiente (INEA-RJ), Philipe Campelo. No contato solicitou que fosse realizada uma vistoria técnica do órgão ambiental ao local e que fosse acionado o Plano de Emergência da Baía de Guanabara para averiguar a origem dos constantes vazamentos de óleo no mar. Participam deste Plano a Capitania dos Portos, empresas instaladas na Baía de Guanabara e órgãos ambientais.

Oleoa na orla da Ilha (Nycolas Santana/Ilha Notícias))

Óleo e lixo castigam Ilha

Naquela área da Baía estão localizados o terminal da Ilha D’Água da Transpetro/Petrobras e duas fábricas da Cosan/Moove. Todas já sofreram denúncias de descarte irregular de poluentes na Baía, ato classificado como crime ambiental na Lei Federal nº 9605/1997. Em 2020, o INEA esteve vistoriando as instalações da Cosan/Moove e constatou várias irregularidades na planta da empresa.

No início da semana, reportagem do “Bom Dia Rio”, da TV Globo, registrou a invasão de lixo em outro ponto da Ilha do Governador. A faixa de areia da Praia da Guanabara foi tomada por garrafas, embalagens e resíduos trazidos pela maré no final de semana. Moradores relatam inclusive que frequentemente encontram até material hospitalar como seringas e fraldas geriátricas na praia. A Ilha pede socorro. E parece que ninguém a escuta.


LEIA TAMBÉM: 

Baía de Guanabara se tornou “cemitério” de embarcações

Rio de Janeiro e Ministério da Economia vão discutir Regime de Recuperação Fiscal

Movimento para fortalecer o Galeão já incomoda paulistas


/