Variante Delta da Covid-19 deixa Paquetá em alerta | Diário do Porto

Pandemia

Variante Delta da Covid-19 deixa Paquetá em alerta

Casos de variante Delta em um morador de Paquetá e outro de Vila Isabel são monitorados pela Prefeitura. Governo determina volta dos servidores ao trabalho

15 de julho de 2021


Moradores fazem fila para pesquisa sorológica em Paquetá (Foto: Divulgação/Morena)


Compartilhe essa notícia:


A confirmação de um homem de 30 anos contaminado pela variante Delta da Covid-19, originária da Índia, deixou a população da ilha de Paquetá, na Baía de Guanabara, em alerta. Há menos de um mês, os moradores locais participaram da vacinação em massa, realizada pela Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS) e pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

A variante delta tem colocado a prefeitura em alerta pelo alto grau de transmissibilidade. Estudos indicam que as vacinas contra covid-19 utilizadas no país oferecem proteção à cepa, ainda que, possivelmente, em menor grau. Nos Estados Unidos, Reino Unido, Portugal, Rússia e Indonésia, a Delta foi responsável por uma nova onda de casos, hospitalizações e mortes – com maior prevalência entre os não vacinados.

Além de Paquetá, a SMS identificou outro caso de síndrome gripal por Covid-19 relacionados à variante Delta (B.1 617.2), após sequenciamento genômico, em um morador de 27 anos no bairro de Vila Isabel. A pasta informou que a investigação epidemiológica está em curso pelas equipes da Vigilância em Saúde da SMS e que segue fazendo o acompanhamento epidemiológico da pandemia na cidade e, em conjunto com a Secretaria de Estado de Saúde e a Fiocruz, para o monitoramento da entrada de diferentes cepas.

Independentemente da variante, as medidas preventivas são as mesmas. A população deve manter o distanciamento, usar máscaras e higienizar as mãos com álcool 70 ou, quando possível, água e sabão; além das demais medidas de proteção à vida estabelecidas na Resolução Conjunta SES/SMS Nº 871 de 12/01/21, que podem ser consultadas em https://coronavirus.rio.


LEIA TAMBÉM:

Paquetá terá evento em setembro, após segunda dose

Sesc RJ Na Estrada vai ao Museu do Café, em Vassouras

O Villarino está voltando! Em agosto, reabre as portas


GovRJ determina volta ao trabalho presencial

O Governo do RJ decidiu alterar as medidas restritivas de combate à pandemia e determinou a retomada do trabalho presencial para funcionários da administração pública. Eles devem voltar a seus postos 14 dias após terem tomado as duas doses ou dose única da vacina contra a Covid. Também devem retornar ao trabalho presencial os funcionários que optaram por não se vacinar.

Cada secretaria e órgão estadual fica responsável por organizar a volta desses funcionários, de acordo com as peculiaridades de cada pasta. O uso de máscara em todos os ambientes, inclusive externos, é obrigatório. Servidores e colaboradores que apresentarem sintomas de Covid devem se reportar a seus superiores e seguir as determinações da Secretaria Estadual de Saúde.

Continuam suspensas as atividades em boates, arenas, danceterias e salões de dança. Shows e espetáculos só são permitidos em locais abertos e com apenas 40% da capacidade, com espaçamento de 1,5 metro de distância entre as pessoas. Essas medidas também valem para eventos sociais em casas de festa infantil, casamentos, exposições, feiras de negócios. Os food parks podem funcionar somente para a venda de alimentos e bebidas.

Bares e restaurantes seguem com as medidas de restrição de 40% da capacidade, distanciamento de dois metros entre as mesas e no máximo oito pessoas por mesa. O atendimento deve se restringir aos clientes acomodados e sentados tanto nas áreas externas quanto internas do estabelecimento. E a permissão para execução de música ao vivo até as 23h. Mas rodas de samba, rodas de rimas, quadras de escola de samba e de blocos carnavalescos seguem vedadas.