Vacinação infantil contra Covid começa no Museu do Amanhã | Diário do Porto


Saúde

Vacinação infantil contra Covid começa no Museu do Amanhã

Museu do Amanhã foi o local escolhido para início da vacinação da garotada no Rio. Meta é imunizar 560 mil crianças até o início de fevereiro

18 de janeiro de 2022

Moradora do Santo Cristo, Marion Timóteo, de 11 anos, foi a primeira criança imunizada contra Covid-19 no Rio (Beth Santos/Prefeitura do Rio)

Compartilhe essa notícia:


Depois de muita polêmica e resistência por parte do Governo Federal, o Museu do Amanhã, na Praça Mauá, foi o local escolhido pela Prefeitura do Rio para o início da campanha de vacinação infantil contra a Covid-19 no Rio de Janeiro. A previsão é a de que 560 mil crianças, entre 5 e 11 anos, sejam imunizadas, de acordo com calendário escalonado por idade, até o dia 9 de fevereiro.

“É muito emocionante poder dar aos nossos filhos a esperança de que vamos superar esse momento ruim. Vim, aqui, fazer um apelo para que os pais cariocas acreditem na ciência, as pessoas estão deixando de morrer por causa da vacina. Não brinquem com a saúde de seus filhos, não acreditem em teoria fantasiosa, em mentira. Vamos vacinar nossa criançada e salvar o futuro dessa cidade”, afirmou o prefeito Eduardo Paes, que esteve presente no Museu do Amanhã.

Mas a vacinação mal começou e já corre o risco de ser interrompida. As 33 mil doses que a cidade recebeu são suficientes para apenas dois dias de imunização. A prefeitura está na expectativa do Ministério da Saúde enviar as doses que chegaram no domingo ao Brasil. De acordo com o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, o município conseguirá cumprir o calendário da semana inteira com a chegada de mais 33 mil doses

Aluna do sexto ano da Escola Municipal Francisco Benjamin Gallotti, no Santo Cristo, Marion Timóteo Barbosa, de 11 anos, foi a primeira criança a ser vacinada. Ela contou que estava bastante ansiosa com a espera da chegada do dia de sua imunização.

“Pensei que fosse doer, mas não senti nada. A vacina é como se fosse uma medalha. A diferença é que a medalha coloco no peito e a vacina coloco no braço”, contou a estudante, que coleciona medalhas conquistadas como lutadora de jiu-jitsu.

Vacinação da garotada vai até início de fevereiro

Além de Marion, todas as meninas de 11 anos foram imunizadas nesta segunda-feira. O calendário segue dessa forma, escalonado por faixa etária decrescente até 5 anos e por gênero, até o início de fevereiro. A vacina que as crianças entre 5 e 11 anos receberão será a Pfizer pediátrica, a única atualmente autorizada pela Anvisa para esse público. O esquema vacinal será feito em duas doses, com intervalo de oito semanas entre elas. Nas crianças, a eficácia da vacina alcança 90,7% uma semana após a segunda dose.

Para ser vacinada, a criança acompanhada pelos pais ou responsáveis deve ir a um dos mais de 240 pontos de vacinação espalhados pela cidade acompanhada com um documento de identificação e, se possível, a caderneta de vacinação. Crianças com deficiência e/ou comorbidades têm prioridade e podem ser imunizadas a qualquer momento, independentemente da idade, desde que tenham entre 5 e 11 anos. Todos os detalhes, incluindo a lista dos pontos de vacinação, podem ser acessados em https://coronavirus.rio/vacina.


LEIA TAMBÉM:

Regime de Recuperação Fiscal: o Rio fez a sua parte

Mau tempo desvia 12 voos de SP e Rio para o Galeão

Portinho diz ao TCU que venda do S. Dumont traz prejuízos à União