Turismo de proximidade: argentinos e chilenos querem o Rio | Diário do Porto

Turismo

Turismo de proximidade: argentinos e chilenos querem o Rio

Vizinhos da América do Sul mostram que turismo de proximidade é uma garantia para a retomada turística do Rio, quando a pandemia estiver sob controle

4 de junho de 2021


Argentinos são a maioria dos turistas estrangeiros no Rio (foto: Agência Brasil)


Compartilhe essa notícia:


Dados da Prefeitura do Rio de Janeiro, computados antes da pandemia e analisados agora, comprovam a importância do turismo de proximidade, mesmo em escala internacional. A pesquisa mostra que argentinos – com larga vantagem -, seguidos de chilenos são os estrangeiros que mais visitam a cidade. Só depois é que aparecem os vindos dos Estados Unidos.

Os números da Prefeitura, analisados pelo Instituto Rio 21, apontam que em 2019, o município recebeu mais de 405 mil turistas da Argentina. O número é 2,5 vezes maior que a quantidade de visitantes chilenos, que ocupam o segundo lugar no ranking de nacionalidades que mais visitam o Rio, com 154.691. Já os turistas vindos dos Estados Unidos somaram 118.629.

Esse cenário está de acordo com os informes da Organização Mundial do Turismo (OMT), órgão da ONU, os quais apontam que 80% das viagens turísticas no mundo são feitas para destinos que estão a no máximo 4 horas dos pontos de origem. Ou seja, tanto a Prefeitura quanto a OMT mostram a importância de investir no turismo de proximidade, quando a pandemia estiver controlada, para atrair vizinhos da América do Sul e de outros Estados do Brasil.

O turismo de proximidade tem maiores condições de garantir a ocupação da rede hoteleira durante o ano inteiro, com reflexos positivos em toda a cadeia de prestação de serviços turísticos, como restaurantes, aeroportos, shoppings, pontos de visitação, comércio de rua, transportes, guias e agências de viagem.

Veja abaixo o quadro de turistas que chegaram ao Rio em 2019:

 

Top 20: Chegada de turistas pelo Município do Rio de Janeiro, segundo países de residência permanente em 2019. Fonte: Prefeitura do Rio de Janeiro. Elaboração: Instituto Rio21

LEIA TAMBÉM:

Moinho Fluminense terá obras externas no 2º semestre

Cassinos são apoiados pela Frente do Turismo

Um museu para o Almirante Negro em São João de Meriti


Turismo de proximidade é a saída para a retomada econômica

Os dados também mostram que mais da metade dos turistas estrangeiros que visitaram o Rio em 2019 eram residentes da América do Sul, o que reforça a importância do planejamento para consolidar o turismo de proximidade. O segundo grupo mais relevante para o turismo do Rio foram os europeus, representando 29% dos turistas. Em seguida, residentes da América do Norte corresponderam à 11% dos visitantes. Já Ásia, Oceania, África e América Central representam uma pequena parcela dos turistas, acumulando juntos 6% dos visitantes.

Proporção de turistas por continente de residência em 2019. Fonte: Prefeitura do Rio de Janeiro. Elaboração: Instituto Rio21