Mobilidade

Firjan: Barcas poderiam tirar mais de 100 mil carros das ruas

Ampliação do transporte hidroviário tem potencial para tirar mais de 100 mil carros das ruas e reduzir até 84 quilômetros de engarrafamentos, segundo estudo

16 de agosto de 2020
Ampliação do sistema hidroviário pode reduzir até 84 quilômetros de engarrafamentos (Foto: Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Quando se fala em cidade grande, a primeira referência costuma ser o engarrafamento. A sensação é de que, a cada ano que passa, eles pioram. O Rio de Janeiro não foge à regra. O que fazer para amenizar o problema? Uma pesquisa de 2015 da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro) mostra que a alternativa mais barata e de mais rápida implantação seria a ampliação do transporte hidroviário, ampliando a oferta de ligações por barcas entre os municípios e áreas mais populosas do Rio.

A Firjan diz que as linhas de barcas existentes são insuficientes frente à demanda e que o problema de mobilidade na região metropolitana concentra-se basicamente em dois eixos: Baía de Guanabara (Avenida Brasil, Linha Vermelha, Ponte Rio-Niterói, Avenida do Contorno e Rodovia Washington Luiz) e Barra da Tijuca. O estudo aponta 14 novas ligações viáveis por barcas, com potencial de tirar 100.900 veículos das ruas, podendo reduzir até 84 quilômetros de engarrafamentos.

Confira o projeto:

FIrjan indica 14 novas ligações hidroviárias, divididas em 4 eixos (Foto: Divulgação/Firjan)

LEIA MAIS

Baía de Guanabara: mais R$ 104 milhões para despoluição

Movimento quer Rio como segunda capital federal

Em alta: Rio no topo dos destinos mais procurados


Eixo Baía de Guanabara

Linhas já existentes:
Praça XV-Praça Araribóia (Niterói)
Praça XV-Ilha do Governador
Praça XV-Paquetá
Praça XV-Charitas (Niterói)

Novas linhas propostas:
Praça XV-Gradim (São Gonçalo) – Menos 19.704 carros nas ruas
Botafogo-Praça Araribóia (Niterói) – Menos 3.941 carros nas ruas
Botafogo-Charitas (Niterói) – Menos 3.941 carros nas ruas
Praça XV-Itaipu (Niterói) – Menos 1.970 carros nas ruas
Cocotá-Gradim (São Gonçalo) – Menos 1.348 carros nas ruas
Praça Araribóia (Niterói)-Itaipu (Niterói) – Menos 4.926 carros nas ruas
Praça XV-Aeroporto Galeão – Menos 3.941 carros nas ruas
Praça XV-Ilha do Fundão – Menos3.733 carros nas ruas
Praça XV-Ribeira (Ilha do Governador) – Menos 2.904 carros nas ruas
Aterro/MAM-Aeroporto Galeão – Menos 1.556 carros nas ruas
Praça XV-Duque de Caxias – Menos 9.852 carros nas ruas

O projeto consistiria em 11 novas linhas de barcas, cinco conectando o Rio ao Leste Fluminense, uma a Duque de Caxias, quatro às Ilhas do Governador e do Fundão e uma ligação entre Niterói (Charitas-Itaipu). Em conjunto, as novas linhas poderiam tirar aproximadamente 58 mil carros das ruas e evitar 48 quilômetros de engarrafamento.

Eixo Barra da Tijuca

O eixo seria dividido em dois trechos: Barra da Tijuca-Praça XV e Complexo Lagunar.

Barra da Tijuca-Praça XV: Com uso de barcas próprias de navegação em mar aberto, o trecho teria capacidade para liberar aproximadamente 33 quilômetros de vias e tirar 39.400 carros das ruas.

Complexo Lagunar: A região, que possui grande concentração de veículos, condomínios, shoppings e e centros comerciais, chega a registrar 17 quilômetros de engarrafamento nos horários de pico. Com o transporte hidroviário, o estudo diz que a linha tiraria 3.700 veículos das ruas. As linhas seriam Lagoa de Jacarepaguá e Lagoa de Marapendi.