Torres da Cury, no Porto, terão imóveis a partir de R$ 195 mil | Diário do Porto

Imóveis

Torres da Cury, no Porto, terão imóveis a partir de R$ 195 mil

Apartamentos do Cury Rio Wonder Residences custarão entre R$ 195 mil e R$ 400 mil. Incorporadoras avaliam fazer novos investimentos na região, diz Cdurp

31 de maio de 2021


Empreendimento será erguido em terreno na Praça Marechal Hermes, no Santo Cristo (Foto: Cdurp)


Compartilhe essa notícia:


O Porto Maravilha, finalmente, vai ganhar seu primeiro empreendimento imobiliário residencial. A Cury Construtora anunciou lançamento no sábado 5 da primeira das três torres que irá erguer no Santo Cristo. Com 1.224 unidades – 470 na primeira fase – e valor geral de venda de R$ 300 milhões, o projeto destina-se a famílias com renda mensal de R$ 6 mil a R$ 11 mil.

O investimento da Cury Construtora na compra do terreno e dos Cepacs (Certificados de Potencial Adicional de Construção) é de R$ 48 milhões, segundo o vice-presidente comercial, Leonardo Mesquita. Os imóveis terão preço de R$ 195 mil a R$ 400 mil, a maioria acima dos limites do Casa Verde e Amarela. Podem, no entanto, ser financiados com recursos da poupança.

Cury Rio lançará 2ª torre

Chamado de Cury Rio Wonder Residences, o projeto terá três torres com studios e unidades de um e dois dormitórios. A primeira tem previsão de entrega para junho de 2024. A apresentação da segunda está prevista para agosto e, conforme a demanda, a terceira torre poderá também ser lançada este ano.

“Não existe lugar mais adequado para desenvolver um projeto residencial no Porto Maravilha. O empreendimento terá VLT [veículo leve sobre trilhos] na porta”, disse Leonardo Mesquita ao jornal Valor Econômico.

 


LEIA TAMBÉM

Edifício Aqwa, no Porto Maravilha, recebe a Icatu Seguros

Coalizão Rio ganha sede no Porto Maravilha

Empresas criam o Distrito Empresarial do Porto


 

A Cury fechou, em janeiro, a aquisição dos 14.348 metros quadrados em frente à Praça Marechal Hermes, perto da Rodoviária do Rio, onde o projeto será erguido, e está de olho em outras áreas do Porto Maravilha. Presidente da Cdurp, Gustavo Guerrante informou que há mais quatro incorporadoras interessadas em desenvolver projetos residenciais na região, especialmente nos padrões médio e médio- alto. Outro lançamento é esperado para este ano. A expectativa é que o início da ocupação residencial estimule o comércio na zona portuária.

Cury faz Cepacs desencalharem

Em seis anos, com a compra feita pela Cury, esta foi a primeira venda de Cepacs do FIIPM (Fundo de Investimentos Imobiliários Porto Maravilha, gerido pela Caixa Econômica Federal. Cerca de 87% das obras de infraestrutura da região foram realizadas, e os recursos dos Cepacs deverão financiar o restante das obras, a operação e a manutenção do Porto Maravilha.