Tia Ciata é o novo nome da estação Cidade do Samba do VLT | Diário do Porto


Mobilidade

Tia Ciata é o novo nome da estação Cidade do Samba do VLT

Ícone da resistência preta no Brasil, Tia Ciata dará nome à estação Cidade do Samba do VLT. Foi na casa dela que o primeiro samba da história foi composto

19 de março de 2022

Tia Ciata agora dá nome à estação Cidade do Samba do VLT (reprodução/internet)

Compartilhe essa notícia:


Matriarca fundadora do samba, a baiana Hilária Batista de Almeida, conhecida como Tia Ciata (1854-1924), tornou-se um símbolo da resistência negra no Brasil pós-abolição e agora dá nome à estação do VLT Cidade do Samba, na Gamboa. O projeto de lei da vereadora Thais Ferreira (PSOL) que altera a denominação da parada foi promulgado nesta sexta-feira pelo presidente da Câmara dos Vereadores do Rio, Carlo Caiado (União Brasil)

Em sua casa, na Praça Onze, onde os sambistas se reuniam, foi feito o primeiro samba gravado em disco, “Pelo Telefone”, uma composição de Donga e Mauro de Almeida que entrou para história na voz do cantor baiano nascido em Santo Amaro da Purificação. Tia Ciata também nasceu nessa mesma cidade do Recôncavo Baiano. E lá anos depois também nasceram dois outros ícones da música brasileira: Caetano Veloso e Maria Bethânia.

“Nomear a estação que já faz alusão ao samba com o nome de Tia Ciata é uma forma de celebrar a importância dela e de outras ‘tias do samba’, em sua maioria mulheres negras que construíram a história musical e cultural da cidade, que permanece viva em cada roda, escola de samba e no próprio carnaval”, justificou a vereadora Thais Ferreira (PSOL).

A estação Tia Ciata é o acesso mais próximo do VLT à Cidade do Samba, complexo que reúne os barracões das Escolas do Grupo Especial do Carnaval. A homenageada morreu aos 70 anos em 1924, quatro anos antes da fundação da primeira agremiação carnavalesca do Rio, a Deixa Falar, que posteriormente viria a se tornar a tradicional Estácio de Sá, que este ano disputa do Grupo de Acesso na Marques de Sapucaí.


LEIA TAMBÉM: 

Maricá busca selo internacional de turismo sustentável

Livro de Sérgio Magalhães propõe “Reinvenção da Cidade”

Mercado Imobiliário do Rio registra leve reação em 2021

 


/