Tarquínio Almeida é o novo presidente da Cdurp | Diário do Porto


Política

Tarquínio Almeida é o novo presidente da Cdurp

Tarquínio Almeida entra no lugar de Antonio Carlos Mendes Barbosa, que sai da Cdurp após cobrar da Caixa soluções para o Porto Maravilha

19 de agosto de 2019

Tarquínio Almeida substitui Antonio Carlos Mendes Barbosa na Cdurp (foto Comlurb)

Compartilhe essa notícia:


A Cdurp (Companhia de Desenvolvimento Urbano da Região do Porto do Rio de Janeiro) está sob nova direção. No lugar de Antonio Carlos Mendes Barbosa. o Tatá, assume Tarquínio Fernandes Almeida, que deixou a presidência da Comlurb (Companhia Municipal de Limpeza Urbana). A decisão foi tomada pelo prefeito Marcelo Crivella, que vem promovendo mudanças em altos cargos da Prefeitura.

A saída de Mendes Barbosa acontece depois de episódios em que ele mesmo chegou a colocar o cargo à disposição, mas continuou sendo mantido pelo prefeito. Agora Crivella fez a sua substituição por Tarquínio, que era o presidente da Comlurb até o último dia 16. Para o lugar de Tarquínio, o prefeito nomeou o diretor Paulo Gustavo Moraes Mangueira, indicado pelo presidente da Câmara Municipal, Jorge Felippe (MDB).

Novo presidente tem especialização ambiental

Tarquinio Fernandes Almeida é engenheiro com especialização ambiental. Funcionário da Comlurb há 24 anos, foi o terceiro presidente da empresa na gestão Crivella. Ele assumiu como presidente em fevereiro de 2018 e teve de enfrentar várias crises, entre elas uma ameaça de paralisação do recolhimento de lixo na cidade, por atrasos de pagamento à empresa que administra o aterro sanitário de Seropédica. Mesmo com críticas setorizadas, a Comlurb é uma companhia municipal que conta com boa imagem junto à população.


LEIA TAMBÉM:

Obras no Santos Dumont: 200 voos vão para o Galeão

Praça da Harmonia, a queridinha do Porto, pede atenção

Salão do Turismo terá atrações de 64 municípios


Mendes Barbosa marcou sua administração na Cdurp por um estilo ao mesmo tempo técnico e apaixonado. Essa empresa municipal é a gestora da Operação Urbana do Porto Maravilha, cabendo a ela a coordenação dos prestadores de serviços e a interface com a Caixa Econômica Federal, responsável pelos fundos que pagam as obras e a manutenção da região portuária.

Nos últimos tempos, Mendes Barbosa vinha tendo embates cada vez mais frequentes com a Caixa, exigindo que o banco trouxesse soluções para o projeto do Porto Maravilha, para o qual a instituição parou de repassar recursos, alegando que os fundos não têm rendimento por causa da crise do setor imobiliário.

O desafio dos serviços públicos

Com a falta de repasses, a Cdurp deixou de pagar à Concessionária Porto Novo, que cuidava dos serviços públicos na região, levando à queda da qualidade na iluminação, pavimentação, calçadas, paisagismo, limpeza urbana e outros setores. Desde o ano passado, a concessionária limitou seus serviços apenas à manutenção dos túneis Marcello Alencar e Rio 450.

Restaurar a qualidade dos serviços públicos nos bairros da Região Portuária é o primeiro desafio de Tarquínio Almeida na presidência da Cdurp. Um trabalho complicado, mas que começa a contar com alguns sinais de boa vontade da Caixa. A direção do banco no Rio, por exemplo, prepara-se para se mudar para o Aqwa Corporate, um dos melhores edifícios do Porto Maravilha.


/