Segurança | Diário do Porto

Polícia quebra grupo fornecedor de armas ao tráfico

18 de janeiro de 2019

Boa notícia no combate ao crime. O grupo é liderado por Edson Ximenes Pedro, o “Pelincha”, fazendeiro perto do Paraguai, de onde vêm as armas ilícitas

RJ é o 10º no “ranking” para ter acesso à posse de arma

4 de janeiro de 2019

Presidente quer usar o índice de mortes por armas de fogo como critério de “efetiva necessidade” de posse de arma pelos cidadãos. O RJ é o 10º pior do país. São Paulo tem a melhor situação.

Museu não cumpria exigências de segurança, atesta Bombeiros

5 de setembro de 2018

Situação é confirmada pelo Corpo de Bombeiros após análise da documentação da instituição, três dias depois do incêndio. Desde 2016, Ministério Público Federal apurava irregularidades no prédio. UFRJ alegou que aguardava verbas para as obras. O repasse foi aprovado pelo BNDES, mas liberação da verba dependia de retirada de parte do acervo inflamável

Museu não tinha brigada de incêndio, nem seguro para acervo

4 de setembro de 2018

A informação é da vice-diretora Cristiane Serejo, ao garantir que o Museu já está se organizando para retomar as atividades de pesquisa e pós-graduação no horto botânico, que fica num prédio anexo e não foi atingido pelo fogo. Profissionais também já buscam maneira de recompor parte do acervo perdido.

VLT volta a parar por falta de segurança

4 de julho de 2018

O VLT foi novamente interrompido nesta quarta-feira (4) por conta de uma operação policial no Morro da Providência. A circulação foi normalizada nas duas linhas às 9h10. Segundo o VLT, em média, ocorre uma paralisação por mês por razões de segurança. No último dia 25, outro tiroteio suspendeu a operação

Comerciantes temem fim da Operação Centro Presente

19 de junho de 2018

Comerciantes, executivos e profissionais que trabalham na região portuária estão temerosos com a segurança pública diante do impasse entre a prefeitura e o Sesc Rio para dar continuidade à Operação Centro Presente a partir do dia 1º de julho. Prefeito Marcello Crivella quer substituir o serviço pelo programa Rio Mais Seguro, cujo investimento mensal é de R$ 850 mil. O Rio Presente custa em torno de R$ 4 milhões por mês