Galeão terá corrida de Stock Car em 2022 | Diário do Porto


Esporte

Galeão terá corrida de Stock Car em 2022

Galeão será palco da primeira corrida da história disputada em uma pista de aeroporto no Brasil. Circuito terá nome do piloto Cacá Bueno

15 de dezembro de 2021

Governador Cláudio Castro anuncia prova de Stock Car na pista do Aeroporto Internacional do Galeão (Carlos Magno/Gov. Rio de Janeiro)

Compartilhe essa notícia:


Com o futuro ameaçado pela privatização do Santos Dumont, o Aeroporto Internacional do Galeão será sede de uma das etapas do Campeonato Brasileiro de Stock Car em 2022. O anúncio foi feito nesta quarta-feira pelo governador Cláudio Castro. Com data prevista para 10 de abril, o GP do Galeão será disputado em uma das pistas do Terminal Aeroportuário.

“O Rio de Janeiro passa por uma retomada após um período de perdas. É a retomada da credibilidade. Grandes empresas voltaram a nos procurar para investir no Rio de Janeiro. Nossa gestão tem resultados históricos. Quando ouvimos um piloto como o Cacá Bueno dizer que acredita no estado, indica que estamos no caminho certo – afirmou o governador Cláudio Castro.

O GP Galeão será a primeira corrida disputada em um aeroporto comercial na história do esporte nacional. A pista terá quatro quilômetros de comprimento e 45 metros de largura. A estrutura prevê a instalação de arquibancadas.

“Constantemente recebemos pedidos dos fãs da Stock Car para que as provas voltem a ser no Rio de Janeiro. Vamos batizar o circuito de Cacá Bueno, único piloto carioca em atividade. Estamos voltando para casa”, comemorou Fernando Julianelli, CEO da Vicar, promotora da Stock Car.

Um carro semelhante aos que são utilizados pelos pilotos nas provas de Stock Car foi criado especialmente para o lançamento da etapa do Rio de Janeiro. O bólido, que tem cerca de 500 cavalos de potência, será exposto em alguns locais da capital, como o Palácio Guanabara, o Aeroporto RioGaleão, entre outros pontos turísticos.

Em laranja, prospecto do traçado do “Autódromo Internacional do Galeão”
(site Aeroin)

Pentacampeão da categoria e homenageado com o nome do circuito, Cacá Bueno falou da emoção de ver o Rio novamente no circuito das grandes competições automobilísticas do País.

“Tudo que hoje sou teve início na minha cidade, que é o Rio de Janeiro. Comecei no kart aqui e, por isso, é uma grande vitória. Este será o ponto de partida do retorno do automobilismo – disse o piloto, que é filho do narrador Galvão Bueno.


LEIA TAMBÉM:

CCBB inaugura exposição do pintor italiano Giorgio Morandi

MAR hasteia nova bandeira criada pelo artista Matheus Ribs

Maricá “exporta” moeda social para Niterói


Galeão é o “único” circuito do Rio

Com o fim do Autódromo Nelson Piquet em Jacarepaguá, o complexo foi demolido para a construção do Parque Olímpico na Barra, o Rio ficou sem um circuito para receber corridas. O presidente Jair Bolsonaro chegou a anunciar a construção de um novo autódromo para receber eventos como F-1, Indy Car e Moto GP em uma área militar em Deodoro, na zona norte. Só que o local abriga a Floresta do Camboatá, lar de mais de 200 mil árvores nativas da Mata Atlântica – mais de 140 espécies de plantas, 150 de aves e dezenas de outros animais – sendo 21 destas espécies ameaçadas de extinção. A grande pressão popular pela preservação da área levou a Câmara dos Vereadores a aprovar a lei 7.183/2021, que criou o Refúgio da Vida Silvestre do Camboatá. A medida acabou de vez com os planos de construção de um novo circuito fixo na cidade. Corrida no Rio por enquanto só na pista do Galeão.


/