As novas startups de educação online, um mercado milionário | Diário do Porto

Inovação

As novas startups de educação online, um mercado milionário

Startups do setor de educação, conhecidas como ‘edtechs’, mudam o mercado de ensino. O Rio concentra 14 % dessas novas empresas

19 de fevereiro de 2021
Marco Fisbhen, fundador e CEO da Descomplica: novo investimento de R$ 450 milhões (Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


O ensino convencional é cada vez mais questionado diante das possibilidades que a tecnologia tem oferecido, e as edTechs,startups que investem na área, são a prova de que a educação só tem a ganhar com essa nova potencialidade, que prioriza o aprendizado por meio de plataformas on-line. O Rio de Janeiro concentra 14 % das empresas desse mercado no país, de acordo com a Associação Brasileira de Startups.

A maioria das edTechs tem menos de uma década de atuação e potencializa o aprendizado com as últimas tendências da área. O objetivo é turbinar o estudo em escolas, cursos e universidades por meio de instrumentos e metodologias mais dinâmicas, criativas e atrativas.

O Descomplica é uma das empresas que exploram esse ecossistema. Criado por um carioca, em 2011, o site oferece vídeo-aulas para quem está se preparando para vestibulares e para o Enem, a preços bem mais acessíveis do que os cursinhos tradicionais.

No ano passado, a empresa deixou de ser somente uma plataforma e se tornou também uma faculdade digital. Em agosto de 2020, com nota máxima no Ministério de Educação, o Descomplica abriu 1.200 vagas para quatro cursos: pedagogia, administração, contabilidade e gestão de pessoas.

Startups recebem investimentos

Nessa semana, a empresa recebeu um investimento de R$ 450 milhões de dois fundos americanos. O aporte, o maior já feito em uma startup de educação na América Latina, será aplicado em três frentes: na Faculdade Descomplica, no desenvolvimento tecnológico e na aquisição de outras empresas.

“Queremos ser o maior player de pós-graduação com 100 mil alunos em 2021”, disse Marco Fisbhen, fundador e CEO da Descomplica.

 


LEIA TAMBÉM

As ‘heranças malditas’ de Paes para Paes

Edital do samba: R$ 1,5 milhão para escolas e blocos

Alerj tem projetos contra a ‘vacina de vento’


Tecnologia além das salas de aula

Uma outra startup da cidade com atuação no mercado educacional é a Árvore de Livros, que oferece aos alunos uma biblioteca digital com milhares de títulos. A plataforma tem parceria com mais de 600 editoras e mantém mais de 30 mil títulos diferentes disponíveis, entre livros, jornais e revistas do mundo todo.

Além disso, o professor pode acompanhar o processo de leitura, descobrir o gênero mais lido e preferido de cada aluno e ainda pode sugerir livros e atividades para os estudantes. Hoje, são mais de 700 escolas em todo o Brasil que utilizam o serviço, e mais de 100 mil alunos impactados por essa ação.

Startups - Árvore de Livros
A Árvore de Livros oferece acesso a milhares de livros digitais às instituições escolares

Uma das dez maiores startups do Brasil, a Passei Direto é hoje a maior rede de estudos e de compartilhamento de conteúdo do país. Com 20 milhões de visitas/mês, a rede social acadêmica foi criada em 2007 e é focada majoritariamente em estudantes universitários.

A empresa tem como objetivo a longo prazo “transformar a educação no Brasil”, segundo Rodrigo Salvador, que a fundou com o sócio André Simões quando ainda cursava administração na PUC-Rio. “Eu queria um negócio que juntasse uma grande oportunidade, que fosse uma coisa que eu realmente gostasse e que tivesse um propósito grande por trás”, conta.