SP tem recorde em lançamentos e vendas de imóveis residenciais | Diário do Porto


Imóveis

SP tem recorde em lançamentos e vendas de imóveis residenciais

Imóveis para baixa renda foram destaque no crescimento de quase 50% no lançamento e nas vendas de novas residências na cidade de São Paulo, em 2019

14 de fevereiro de 2020

A capital paulista teve recorde de lançamentos e vendas de imóveis para baixa renda (foto: Depositphotos).

Compartilhe essa notícia:


Os imóveis voltados para o público de baixa renda, com unidades econômicas e compactas, foram o grande impulsionador do crescimento do mercado imobiliário da cidade de São Paulo, em 2019. Essa é a conclusão de pesquisa apresentada pelo Secovi-SP (Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo).

Os dados apresentados pelo Secovi-SP foram elaborados pela Embraesp (Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio). De acordo com esse relatório, no ano de 2019 foram lançadas na cidade de São Paulo 55,5 mil unidades residenciais, volume 49,6% superior às 37,1 mil unidades lançadas em 2018. Houve grande volume lançado em regiões periféricas da capital paulista.

Crescimento expressivo também foi verificado nas vendas de residências novas na capital paulista. No ano passado, foram vendidas 44,7 mil unidades, superando em 49,5% as 29,9 mil unidades vendidas em 2018.

Os números foram apresentados pelo economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci, e analisados pelo presidente da entidade, Basilio Jafet, e o vice-presidente de Incorporação e Terrenos Urbanos, Emilio Kallas.

O aumento nas vendas de unidades novas é explicado, principalmente, “pelo atendimento à demanda reprimida nos anos de crise econômica do país (2014 a 2017). Durante esse período de recessão, muitas vendas foram postergadas. Com um ambiente econômico mais favorável, o comprador, principalmente o de mais baixa renda, retomou a confiança e voltou aos estandes de vendas em 2019. Também encorajados pelas perspectivas positivas com o rumo do Brasil, os empreendedores ampliaram a oferta”, segundo a divulgação do Secovi-SP.


LEIA TAMBÉM:

Marinha quer construir 320 apartamentos no Porto Maravilha

Fecomércio: pirataria traz prejuízo de R$ 822 milhões ao Rio

Carnaval 2020: agenda dos blocos de rua


Sobre os novos lançamentos, Basilio Jafet ressaltou que a produção de imóveis para a classe média e alta está bem abaixo da média. “Em 15 anos, a média de imóveis lançados para esse público foi de 24 mil imóveis. E em 2019, foram lançadas pouco mais de 18 mil unidades para essa demanda, uma queda de 22%”, afirmou, atribuindo a redução às consequências das restrições da Lei de Zoneamento atual.

A aceleração do volume de lançamentos também se justifica pelo aumento de imóveis do Programa Minha Casa, Minha Vida. Do total de imóveis lançados no ano passado, 49% eram unidades econômicas. Esse índice é o maior registrado desde que a Pesquisa Secovi-SP passou a acompanhar o desempenho desse tipo de mercado, em 2016, ano em que a participação era de 21%.

Segundo o relatório, ano de 2019 foi também positivo para a geração de empregos na construção civil, com a criação de 71 mil novos postos formais de trabalho (11% do total), de um total de 644 mil novas contratações no país. Este é o melhor resultado desde 2013.

Para 2020, a expectativa do Secovi-SP é de que o mercado imobiliário repita o bom desempenho de lançamentos e vendas de 2019, com crescimento de 10% em termos de VGV (Valor Global de Venda).


/