Sérgio Castro Imóveis vende famoso prédio do Centro | Diário do Porto


Negócios

Sérgio Castro Imóveis vende famoso prédio do Centro

Edifício da rua da Assembleia 11, no Centro, foi adquirido pela associação de cooperativas Sescoop. Valor do negócio chegou a R$ 11,5 milhões

24 de novembro de 2021

Prédio do Centro foi comprado por associação de cooperativas (reprodução)

Compartilhe essa notícia:


Foi fechada recentemente a venda do prédio que fica na rua da Assembleia, 11. A informação é da coluna do Ancelmo Gois, em O Globo. É mais um negócio imobiliário que movimenta o mercado da região central, que recentemente teve dois lançamentos via projeto Reviver Centro, iniciativa da Prefeitura que busca o renascimento do Centro com a ampliação da ofertas de moradias residenciais.

A negociação, que teve a intermediação da Sérgio Castro Imóveis, entregou as chaves do espaço à Sescoop, entidade ligada às cooperativas. O valor do negócio ficou na casa de R$ 11,5 milhões. A Sescoop representa hoje 1086 cooperativas no Estado do Rio com faturamento anual de R$ 10 bilhões. A entidade conta com cerca de 26 mil cooperados.

O novo prédio da instituição tem 13 andares, além de espaço comercial no nível da rua. A região da Rua da Assembleia foi uma que mais sentiu os efeitos da crise dos últimos anos, agravada pela pandemia. Vários negócios baixaram as portas, dando um ar de abandono a um das áreas que outrora era das mais movimentadas da região.

A retomada do Centro

Com o Reviver Centro, a Prefeitura projeta um crescimento de cerca de 15% na população do Centro nos próximos anos, hoje estimada em cerca de 40 mil habitantes. Washington Fajardo, secretário municipal de Planejamento Urbano, pasta responsável pelo Reviver Centro, destaca as vantagens e benefícios de residir na região central. “O Centro do Rio é uma cidade de 5 minutos. Saindo de uma estação de metrô, trem ou VLT você acessa em uma caminhada de 5 minutos a restaurantes, museus, comércios. Tem-se de tudo ali. Esse território de cinco minutos é fantástico para moradia. Com o plano, a gente busca incentivar a moradia, a recuperação urbana, tudo ao mesmo tempo, permitindo que esta área possa ser revitalizada”, diz


LEIA TAMBÉM:

Rio de Janeiro tem 7% de empreendedores com menos de 25 anos

CPI da Alerj prevê arrecadação de R$ 25 bi em royalties

Sesc RJ na Estrada faz passeio de canoa havaiana pela Baía de Guanabara