Segunda Páscoa da pandemia será melhor para comércio | Diário do Porto

Comércio

Segunda Páscoa da pandemia será melhor para comércio

Pesquisa de instituto da Fecomércio RJ indica que mais fluminenses darão presentes nessa Páscoa do que no ano passado. Chocolate segue líder de intenções

31 de março de 2021
Ovo de chocolate segue líder de presentes: Páscoa mais generosa em 2021


Compartilhe essa notícia:


A expectativa para a Páscoa de 2021 vai mais positiva para o comércio, segundo estimativa do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ). Pesquisa revelou que cerca de 8,3 milhões de pessoas, 59,6% dos moradores do Estado do Rio de Janeiro, têm intenção de presentear na data. No ano passado, eram 4,8 milhões (37,6%).

Assim, a movimentação na economia deve atingir R$ 829 milhões, valor bem superior ao de 2020, que foi de R$ 518 milhões. Em 2021, 40,4% dos entrevistados pelo IFec RJ disseram que não devem dar presentes, e no ano passado esse grupo era de 62,4%. Para o IFec, o levantamento mostra uma melhora em relação à fase aguda da pandemia de 2020, apesar de o quadro da pandemia hoje ser ainda pior, especialmente em relação à lotação dos hospitais.

Chocolate segue líder

Dentre os fluminenses que disseram que vão presentear na Páscoa, os itens mais procurados são ovos de chocolate (59,4%), bombons (51,8%) e barras de chocolate (46,7%). Em seguida aparecem bichinhos de pelúcia (6,1%), cesta de Páscoa (5,1%) e colomba pascoal (4,6%).

 


Leia também:

Campanha #invistanorio se espalha com apoio de empresas

Bike Rio expande o sistema com 50 novas estações

Monarquistas querem Museu Nacional fora do Paço de S. Cristóvão


 

Cada consumidor deve gastar, em média, R$ 99,70, valor que se manteve praticamente estável se comparado à 2020. Dos que pretendem presentear, 53,8% irão dar mais de uma opção. Ao serem perguntados onde farão suas compras, a maior parte dos pesquisados respondeu que se dividiriam entre lojas físicas e online (60,4%), seguidos de só online (13,2%) e somente física (26,4%).

A sondagem ocorreu entre 15 e 18 de março e contou com 389 consumidores do Estado do Rio de Janeiro.