Secretário vai morar uma semana no Centro e quer revitalização | Diário do Porto

Política

Secretário vai morar uma semana no Centro e quer revitalização

Washington Fajardo vai conversar com moradores e comerciantes do Centro do Rio. Secretário prepara um plano de revitalização, batizado de Reviver Centro.

16 de janeiro de 2021


Farjardo busca alternativas para a pouca oferta de imóveis habitacionais na região central (foto: reprodução/internet)


Compartilhe essa notícia:


O Secretário Municipal de Planejamento Urbano, Washington Fajardo, vai fazer uma semana de imersão completa na rotina do Centro do Rio, morando na região temporariamente, a partir deste domingo (17). Farjado pretende andar pela área, fazer mercado, ir à padaria e conversar com os moradores e comerciantes, para fazer observações de campo e colher de perto as impressões de quem vive no local.

O objetivo do secretário é reunir as contribuições para um Grupo de Trabalho, composto por vários órgãos municipais, criado para a elaboração de um plano de revitalização da região, batizado de Reviver Centro. “Pretendo fazer reuniões com moradores, visitar ocupações de moradias, como cortiços, os comércios e também o Batalhão de Polícia Militar da região”, adianta Fajardo.

O grupo será coordenado por ele, com a participação de diversas secretarias e órgãos, entre elas Ordem Pública, Saúde, Cultura, Assistência Social e Habitação. Um Plano de Requalificação do Centro da cidade, que dará ênfase à coordenação entre os órgãos para cuidar, manter e melhorar o espaço público, será entregue em 120 dias.

Durante a semana experimental morando no Centro, Fajardo vai agregar a experiência de viver na área com o trabalho diário no Centro Administrativo São Sebastião, sede da Prefeitura, na Cidade Nova.

Washington Fajardo
Washington Fajardo quer projetos residenciais no Centro do Rio (foto: Plurale)

Propostas para o Centro do Rio

Fajardo diz que lugares como a Cruz Vermelha e o Bairro de Fátima comprovam que o Centro tem vocação para receber moradores. Para ele, os trechos entre a Praça da República, a Praça Tiradentes e a Rua Sete de Setembro têm grande potencial para projetos residenciais, com o aproveitamento de imóveis históricos tombados ou preservados.

Em pesquisa recente do Instituto Fecomércio de Pesquisas e Análises (IFec RJ), que entrevistou 303 empresários do comércio de bens e serviços da região, 80,3% dos entrevistados registraram queda acima de 25% no faturamento de 2020. Os comerciantes apontaram que a ausência de segurança, infraestrutura e moradores de rua intensificaram a queda nos rendimentos, antes mesmo da pandemia.

A Secretaria de Planejamento Urbano informou que “uma das metas ainda é buscar alternativas para a pouca oferta de imóveis habitacionais da área, uma vez que o uso residencial da região pode se transformar numa diretriz de sua requalificação urbana, trazendo melhorias na qualidade de vida e na sustentabilidade ambiental e socioeconômica da área” .


LEIA TAMBÉM

Centro Cultural Light tem programa de férias para as crianças

CDLRio aponta queda recorde no comércio do Centro

Centro será prioridade de Washington Fajardo, na gestão de Paes