São Gonçalo pode ter escola de mar e pesca | Diário do Porto


Educação

São Gonçalo pode ter escola de mar e pesca

Passa em primeira votação projeto que autoriza a criação de instituição para formar profissionais em pesca em São Gonçalo, à beira da Baía de Guanabara

8 de maio de 2022

Escola de mar e pesca ajudará a identificar pescadores artesanais e aquicultores familiares aptos a ao crédito rural (Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


O município de São Gonçalo, segunda maior cidade da Região Metropolitana, pode ganhar uma escola de mar e pesca para apoio à atividade pesqueira. É o que autoriza o Projeto de Lei 4.558/21, do ex-deputado Ronaldo Anquieta, que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) acaba de aprovar em primeira discussão. O texto ainda precisa ser aprovado em segunda discussão pela Casa.

A escola deverá ser vinculada à Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec) e terá a finalidade de oferecer cursos profissionalizantes de formação de aquaviários para o setor de pesca em São Gonçalo, mecânica e eletrônica de embarcações, beneficiamento, manipulação e conservação do pescado, montagem e manutenção de petrechos, gastronomia do mar, entre outros.

Além disso, poderá promover a realização de seminários e atividades de assuntos relacionados à pesquisa, ao desenvolvimento sustentável e à inovação tecnológica.

 


LEIA TAMBÉM:

Os pontos fortes do Porto de Itaguaí, aos 40 anos
InovAÇÃO RIO: R$ 40 milhões para empresas de 37 cidades
Palácio Pedro Ernesto é o1º prédio público Lixo Zero do Brasil

De acordo com Anquieta, normalmente os pescadores treinados para a pesca em São Gonçalo têm dificuldade de fazer os cursos, seja por motivos financeiros ou logísticos.

“Um dos principais objetivos da escola é oferecer esse auxílio técnico e a emissão de Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAP), documento que identifica pescadores artesanais e aquicultores familiares aptos a realizarem operações de crédito rural ao amparo do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf)”, justificou o ex-deputado.