Santos Dumont terá mudanças no edital de privatização | Diário do Porto


Economia

Santos Dumont terá mudanças no edital de privatização

Senador Carlos Portinho acredita que ministro Tarcísio de Freitas vai mudar o edital do Santos Dumont, que inviabiliza o fortalecimento do Galeão

30 de outubro de 2021

Aeroporto Santos Dumont foi fechado pela neblina nesta semana e parte dos voos foi para o Galeão (foto: Reprodução TV Globo)

Compartilhe essa notícia:


O modelo de privatização do aeroporto Santos Dumont será alterado e não mais prejudicará o fortalecimento do Aeroporto do Galeão como um hub aéreo, um concentrador de voos nacionais e internacionais. Isso é o que acredita o senador Carlos Portinho (PL/RJ), após recentes encontros com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas.

O ministro chegou a dizer, durante a cerimônia do leilão de concessão da rodovia Presidente Dutra, que a nova versão do edital do Santos Dumont irá contemplar as observações que vêm sendo feitas por Portinho. O senador está alinhado com as posições do prefeito Eduardo Paes e do governador Cláudio Castro, ambos contrários a que o aeroporto central do Rio possa ter seu número de voos expandidos, como pretendia anteriormente o ministro.

“Nossas razões têm sensibilizado o ministro”, afirmou Portinho ao Diário do Porto, acrescentando que serão consideradas pelo Ministério parte das contribuições apresentadas pelas autoridades e entidades empresárias do Rio. Ele explica que o novo edital para a privatização do Santos Dumont deverá levar em consideração sua operação em sintonia com o Galeão, só permitindo haver concorrência entre esses aeroportos quando for superada a marca de 30 milhões de passageiros por ano, somando-se o movimento dos dois. Até antes da pandemia, os dois movimentavam cerca de 22 milhões de passageiros, sendo quase 13 milhões no Galeão.

Santos Dumont deve ser privatizado até março

A limitação das operações no Santos Dumont, com o aumento de conexões nacionais no Galeão é condição básica para que o Aeroporto Internacional do Rio tenha mais voos para o exterior. Segundo estudos já apresentados ao Ministério da Infraestrutura, são necessários pelo menos seis voos nacionais para a operação regular de um voo internacional em um mesmo aeroporto.

Outro ponto que o senador acredita que poderá ser contemplado pelo novo edital é a mudança da inexplicável regra atual que estabelece o Santos Dumont como uma atração em um pacote no qual também são privatizados três aeroportos do interior de Minas Gerais. No lugar dessas cidades mineiras, Portinho propõe que sejam incluídos aeroportos do interior fluminense, o que seria mais lógico e justo com o Estado do Rio.

O edital estará aberto para debate público até o próximo dia 8. A intenção de Tarcísio de Freitas é concluir o processo de privatização até o mês de março, antes de abril quando ministros terão que deixar os cargos, caso queiram se candidatar às eleições de 2022. Informações já publicadas dão conta de que o presidente Bolsonaro deseja que Freitas seja seu candidato ao Governo de São Paulo, embora o próprio ministro preferisse concorrer ao Senado por outros Estados.


LEIA TAMBÉM:

Fecomércio-RJ se posiciona contra modelo de licitação do Santos Dumont

Icatu chega ao edifício Aqwa e agita o Porto Maravilha

Águas do Rio apoia projeto de revitalização da Lagoa


/