Rua Marcílio Dias: desordem e crimes sob as barbas dos generais

Maus tratos podem ter derrubado árvore na Rua Marcílio Dias. Colada ao CML e à Central, a rua é um dos pontos de mais desordem e uso de drogas na cidade. Veja mais fotos.

Árvore cai sobre carros na Rua Marcílio Dias
Árvore cai sobre carros na Rua Marcílio Dias (Fotos de JC Cardoso)

Uma árvore enorme caiu sobre dois carros na tarde desta terça-feira, 27, perto da Central do Brasil. O incidente, sem registro de vítimas, foi em frente ao número 44 da Rua Marcílio Dias. 

Não havia ventania nem temporal. É muito provável, segundo moradores, que a árvore não tenha resistido ao excesso de maus tratos. A Rua Marcílio Dias, apesar de ficar atrás do imponente prédio do Comando Militar do Leste, é repleta de usuários de drogas à luz do dia, como o crack, e também de ladrões. Muitos urinam nas árvores à luz do dia, dormem nas calçadas e praticam crimes.

arvore cai na rua marcílio dias

Árvore cai sobre carros na Rua Marcílio DiasDesordem perto de generais

No CML funciona o Gabinete de Intervenção Militar na Segurança Pública do Rio de Janeiro, sob o comando do general Walter Souza Braga Netto. Fica a poucos metros da 4ª Delegacia de Polícia e também da Central do Brasil, em cujo prédio fica a Secretaria de Segurança Pública. O secretário é o também general Richard Nunes.

Pessoas que não conhecem o Rio de Janeiro teriam dificuldades em acreditar. Mas, apesar de ficar sob as barbas dos generais responsáveis pela segurança, a Rua Marcílio Dias é um dos pontos mais conhecidos de desordeiros e criminosos. As redes sociais estão repletas de relatos.

O internauta “Síndico da Cidade“, por exemplo, aventurou-se a filmar um trecho da rua. A postagem no Youtube tem como título “Rua Marcílio Dias – Centro do Rio de Janeiro – fedorenta e perigosa”. Confira clicando aqui.

 

Árvore cai sobre carros na Rua Marcílio DiasO DIÁRIO DO PORTO faz uma campanha permanente para conscientizar as autoridades públicas, da Guarda Municipal ao Palácio Guanabara, sobre a importância de combater o excesso de desordem e de delitos em torno das grandes estações do transporte público do Rio.

Essa imagem de terra sem dono causa péssima impressão a quem chega à Cidade Maravilhosa pela Rodoviária Novo Rio ou pela Central do Brasil. A Guarda tem sua atuação limitada pela presença de “crimes estaduais”, como tráfico de drogas. O Estado não se considera responsável pela ordem urbana, uma atribuição da Prefeitura. Enquanto um poder joga o problema para o outro, recomenda-se evitar a Rua Marcílio Dias, entre muitas outras.

(As fotos foram cedidas ao DIÁRIO DO PORTO pelo jornalista J.C. Cardoso, que passava pelo local)

Todas as Notícias