“Rota Charles Darwin” entre Rio e Cabo Frio é aprovada na Alerj | Diário do Porto

Turismo

“Rota Charles Darwin” entre Rio e Cabo Frio é aprovada na Alerj

“Rota Charles Darwin” é constituída por trilhas e estradas por onde o biólogo passou. Projeto busca potencializar o ecoturismo

1 de dezembro de 2020
Rota Charles Darwin compreende a faixa litorânea entre a Baía de Guanabara e Cabo Frio (Reprodução: Internet)

Compartilhe essa notícia:


A rota Charles Darwin, constituída por antigas trilhas e estradas utilizadas pelo biólogo em sua passagem pelo Brasil, pode ser criada para potencializar o ecoturismo no Rio de Janeiro. Esta é a determinação do projeto de lei 3.208/17, dos deputados Carlos Minc (PSB) e Zeidan (PT), que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou em discussão única na última quinta-feira (26).

Charles Darwin esteve no Rio de Janeiro entre abril e julho de 1832. Na época, com 23 anos, ele realizou pesquisas científicas e sociais que ajudaram a formulação de teorias como a da evolução das espécies e a da seleção natural.

O percurso compreende a faixa litorânea entre a Baía de Guanabara e Cabo Frio, abrangendo os municípios de Niterói, Maricá, Saquarema, Araruama, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia, Arraial do Cabo e Cabo Frio. No total, o trajeto envolve nove municípios fluminenses.

O objetivo é promover a visitação pública do local por meio da construção de ciclovias, com finalidade de potencializar o ecoturismo na região. Ao longo do percurso serão instalados marcos, totens, placas ou similares com informações e dados sobre as descobertas de Darwin na região. O Poder Executivo poderá fazer parcerias com as prefeituras municipais para aperfeiçoar a infraestrutura da rota.


LEIA MAIS

Para ver e ler: quando livro vira filme, e vice-versa

Abra o coração do Rio ao progresso, prefeito Paes 

Alerj quer multar petroleira que não comprar produto local


“A passagem de Darwin no Rio de Janeiro foi mapeada, o caminho que ele fez em suas pesquisas percorre municípios de Niterói a Búzios, e, através dessas trilhas, foram criadas unidades de preservação e um ecoturismo científico. Vários trechos dessas trilhas também são feitos com bicicleta, então a proposta reúne ecologia, ciência, ecoturismo e cicloturismo”, afirma o deputado Carlos Minc.

A proposta também autoriza o Governo do Estado a criar o Programa Cicloturístico da Rota Charles Darwin, com o objetivo de revitalizar os atrativos turísticos da região, promover a conectividade intermunicipal das ciclovias, além de viabilizar a passagem de cicloturistas nas unidades de conservação da natureza. Participarão da elaboração do programa representantes dos municípios, pesquisadores de universidades e membros de instituições ligadas ao turismo e ao meio ambiente. O governo deverá regulamentar a norma por decretos.