Saúde

Rio triplica número de mortes diárias por Covid-19

Na cidade do Rio, de ontem para hoje, 7 de maio, as mortes subiram de 51 para 155. Desde março, as mortes chegaram a 919 e os casos da doença somaram 9.051

7 de maio de 2020
Guardas municipais orientam moradores sobre bloqueio parcial do Calçadão de Campo Grande, na Zona Oeste (Foto: Prefeitura do Rio / Marcelo Piu)

Compartilhe essa notícia:


As mortes por Covid-19 na cidade do Rio triplicaram de ontem para hoje, dia 7 de maio, subindo de 51 para 155. Os números, que mostram um recorde na mortalidade causada pela a doença do novo coronavírus, fazem parte do acompanhamento diário mostrado pelo Painel Rio Covid-19, mantido pela Secretaria Municipal da Saúde.

Segundo o painel, o total de mortes pela doença na cidade chegou a 919, desde março, enquanto os casos confirmados somaram 9.051. Os números da capital foram o principal fator para o recorde de mortes verificado no Estado do Rio, em 24 horas. Os óbitos, no dia 7, chegaram a 189, mais que o dobro dos registrados na véspera, 82.

O DIÁRIO DO PORTO questionou a Prefeitura do Rio sobre os motivos do crescimento expressivo de óbitos em apenas um dia. A Secretaria de Saúde respondeu que o  aumento do número de óbitos não indica que as mesmas tenham ocorrido na mesma data. Segundo a Secretaria, os dados atuais refletem casos ocorridos anteriormente e só confirmados por exames nos últimos dias.

Bairros mais afetados

Copacabana é o bairro da capital com mais casos mortes, 57, seguido por Campo Grande, 48 e Bangu, 45. Copacabana também é o bairro com mais casos confirmados, 386, seguido por Barra da Tijuca, 348 e Campo Grande, 269.

Para conter o crescimento de casos em Campo Grande, a Prefeitura adotou o que chamou de lockdown parcial, ou seja um isolamento mais rigoroso, principalmente das áreas comerciais, porém restrito a um bairro. Segundo o prefeito Marcelo Crivella, a medida poderá ser estendia a Bangu e Santa Cruz, também na Zona Oeste, caso continuem sendo verificadas aglomerações e falta de uso de máscaras.

No meio desse cenário de grandes números, dois bairros da cidade, Barra de Guaratiba e Ilha de Paquetá, têm quadros de cidades do interior, com apenas 1 caso confirmado em cada um, sem nenhuma morte.


LEIA MAIS:

Hospital Pedro Ernesto precisa de doações de sangue

Viações oferecem descontos em viagens de ônibus pós-pandemia

Prosseguem as obras da nova sede da Caixa Econômica, no Porto


A média de idade dos casos confirmados é de 49,8 anos. A faixa etária mais afetada vai de 40 a 49 anos, com 2.057 casos. Em segundo lugar, com 1.995 casos, vem a faixa dos 30 aos 39 anos.

Os números mostram grande confirmação de contaminação justamente em parte da população em idade mais produtiva e que integra a mão de obra do comércio e serviços, cujo funcionamento está restrito aos setores essenciais, por determinação dos governos do Município e do Estado.

O acesso ao Painel é feito pela internet, no seguinte endereço: https://experience.arcgis.com/experience/38efc69787a346959c931568bd9e2cc4

O Painel é atualizado diariamente pela Secretaria Municipal da Saúde e seus números mostram que as medidas de isolamento social são essenciais para proteger a população. Não basta o isolamento das pessoas com mais de 60 anos, como defendem os que querem a antecipação do fim da quarentena.