Rio entra em novo estado de alerta: chuvas intensas, com raios e rajadas de vento | Diário do Porto


Geral

Rio entra em novo estado de alerta: chuvas intensas, com raios e rajadas de vento

Prefeito Marcelo Crivella pede para que moradores deixem áreas de risco. Frente fria está mais concentrada em áreas das zona Norte e do Centro da capital

12 de fevereiro de 2019

No último dia 6, deslizamentos e duas mortes na av. Niemeyer (foto: Richard Santos / Prefeitura do Rio)

Compartilhe essa notícia:


O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) fez um alerta de que o Estado do Rio de Janeiro terá condições severas de tempo a partir da madrugada de hoje, dia 13, até sábado, 16. Análise dos meteorologistas do Centro de Operações da Prefeitura do Rio (COR) indica que as pancadas de chuva estão mais fortes nas regiões da zona Norte e do Centro, enquanto que na semana passada tiveram maior concentração nas zonas Leste e Sul.

Segundo o Inmet, a instabilidade trará chuva intensa, raios e rajadas de vento que podem superar os 80 km por hora. Na semana passada, o mau tempo e ventos que chegaram a 110 km por hora causaram a morte de 7 pessoas no Estado.

A Prefeitura do Rio anunciou a suspensão das aulas nas escolas municipais, nesta quarta-feira, para evitar maior volume de tráfego nas ruas, quando são esperadas as chuvas mais intensas.

Em entrevista coletiva, o prefeito Marcelo Crivella pediu para que as pessoas em áreas de risco deixem suas casas. “Queria fazer um apelo: pessoas que vivem nas encostas do Rio de Janeiro, sobretudo as mais íngremes, saiam dessas áreas, pois são as áreas mais perigosas”, afirmou Crivella.


Leia Mais:

Presidente da Caixa deve dar prioridade ao Porto Maravilha

Rio combate o Aedes aegypti. Maior preocupação é com casos de chikungunya

Campanha combate comércio irregular em volta da Rodoviária do Rio


Em vários pontos da cidade ainda é possível ver que a cidade ainda não se recuperou totalmente das chuvas ocorridas na noite do último dia 6. Várias árvores caídas ainda estão sendo removidas, postes e fiações derrubados permanecem sem conserto.

A avenida Niemeyer, em que duas pessoas morreram soterradas dentro de um ônibus, permanecia fechada, com trânsito restrito apenas para moradores do Vidigal e hóspedes do hotel Sheraton. Trabalhadores ainda realizavam os serviços para remoção de pedras, terra e árvores na área em que houve deslizamentos.

A região do Porto Maravilha foi uma das menos afetadas pelas chuvas da semana passada, não havendo alagamentos no sistema viário e nos túneis que cortam a região. Também não foram registrados casos graves nos morros da Providência e do Pinto, porém o alerta da prefeitura vale também para essas áreas.

Segundo o secretário da Casa Civil, Paulo Messina, não haverá coleta de lixo durante o temporal, portanto os moradores só devem colocar latas e sacos nas ruas após o final das chuvas. O secretário também apela para que os moradores saiam de suas casas e procurem lugares mais seguros, tão logo ouçam as sirenes de alerta.


/