Rio, capital da bike compartilhada | Diário do Porto


Mobilidade

Rio, capital da bike compartilhada

Veja quais são as estações favoritas do Bike Rio e saiba como entrar na onda. Já são 260 estações e 2.600 bicicletas espalhadas pela cidade

20 de fevereiro de 2019

Sistema de bicicletas compartilhadas cresce no Rio

Compartilhe essa notícia:


O título atrapalha um pouquinho a tese de que o Rio de Janeiro não tem jeito, que o carioca não tem educação e outros preconceitos do gênero. É verdade que a cidade tem sido castigada pela falta de carinho com o espaço público, mas uma boa notícia, como esta da Bike Rio, é para se comemorar.

O Rio de Janeiro já tem 260 estações de bicicletas compartilhadas. É a cidade campeã do Brasil nesse tipo de mobilidade sustentável. Em um ano, desde 20 de fevereiro de 2018, o número de viagens triplicou, chegando a 2.600 laranjinhas do Itaú nas ruas.

O resultado é comemorado pela Tembici. Há um ano a empresa incorporou nova tecnologia ao Bike Rio. É o sistema de compartilhamento de bicicletas patrocinado pelo Itaú Unibanco. Desde então, 68 estações foram inauguradas.

O novo sistema tem tem tecnologia da PBSC Urban Solutions, considerada a melhor solução de compartilhamento de bicicletas do mundo. A novidade deixou a experiência do compartilhamento de bicicleta na cidade mais segura, confortável, eficiente e sustentável. É o mesmo modelo das cidades de Chicago, Guadalajara, Londres, Montreal, Barcelona e Toronto.

 


VEJA TAMBÉM:

As melhores opções de coworking no coração do Rio

Rio é a primeira Capital Mundial da Arquitetura

Um passeio de bike pela História do Brasil: o Centro e o Porto


 

As 68 estações instaladas recentemente no Rio representaram um aumento de 33% do sistema. O mais importante é que a aposta no novo hábito reduz o tempo que o carioca perde no transporte diário. São novas opções de percurso, rotas alternativas e disponibilidade para quem pedala pela cidade.

As cinco estações favoritas dentre as instaladas este ano são a Buarque de Macedo, da Praça Euvaldo Lodi, da Rua do Rezende, da Rua do Riachuelo e do Posto 12 Recreio. O trajeto entre as estações do Posto 12 ao Dez e Meio Beach Club é uma das rotas mais populares, com tempo médio para realizar o percurso de 16 minutos de um ponto a outro.

“As bikes, conhecidas também como laranjinhas do Itaú, colaboram com o meio-ambiente, tornam a rotina mais divertida e ajudam na manutenção de uma vida saudável para os que escolhem andar de bicicleta pela cidade”, afirma Marcella Bordallo, gerente geral da Tembici para o Rio.

Como funciona

É muito simples. A pessoa se cadastra no site da Bike Rio (clique aqui) e escolhe um dos planos. Você pode escolher experimentar o sistema por apenas um dia (R$ 5), três dias (R$ 15) ou fazer uma “assinatura” mensal (R$ 20), trimestral (R$ 50) ou anual (R$ 160). Se optar pelo plano anual, cada dia do uso da bike sai por 43 centavos.

Para pegar a bicicleta em uma das 260 estações da cidade, é só inserir o cartão na vaga da bike escolhida. ou usar o App Bike Itaú, digitando o código gerado pelo aplicativo na vaga escolhida.

Você pode fazer quantas viagens quiser no mesmo dia, desde que cada uma delas não ultrapasse 60 minutos. Se passar, você paga R$ 5 a mais por hora. Para não ser cobrado o valor adicional, faça um intervalo de 15 minutos a cada viagem de, no máximo, 60 minutos. O limite de tempo dá o sentido do projeto, o de compartilhamento. Mais pessoas poderão usar a mesma bicicleta.

Para devolver, é só encaixar a bicicleta em uma vaga disponível de qualquer estação Bike Rio. Não deixe de confirmar que está travada. É possível localizar as estações com vagas disponíveis pelo site, pelo App Bike Itaú ou ligando para a Central de Atendimento.

O Itaú e a Tembici

O Itaú Unibanco é o único patrocinador de sistemas de compartilhamento de bicicletas no mundo que tem programas de dimensões internacionais. Mantém 8.300 bicicletas, somando 20 milhões de viagens no Rio, Belo Horizonte, São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes (Pernambuco), além de Santiago, no Chile.

Já a Tembici é líder no mercado de bicicletas compartilhadas na América Latina. Responsável pelo planejamento, implantação e operação do sistema em 18 cidades no Brasil, também atua no Chile e na Argentina. Desenvolve projetos de infraestrutura e gestão de estacionamentos de bicicletas e ciclofaixas, totalizando 34 projetos envolvendo 3,5 milhões de pessoas. A startup tem mais de 500 colaboradores que cuidam de 1 milhão de viagens por mês.

O mapa completo das estações e pontos de acesso podem ser encontrados no site https://bikeitau.com.br/bikerio/mapa-das-estacoes/, por meio do aplicativo Bike Itaú e do mapa abaixo:

Mapa do Bike Rio na capital nacional da mobilidade por bicicleta
Mapa do Bike Rio na capital nacional da mobilidade por bicicleta

 


/