Rede Kigali e nossa atitude contra as mudanças climáticas | Diário do Porto

Artigo

Rede Kigali e nossa atitude contra as mudanças climáticas

Jornalista fala da importância de frear as mudanças climáticas e destaca a campanha “Se liga na conta do ar-condicionado”, da Rede Kigali

19 de fevereiro de 2021
As preocupações com as mudanças climáticas são globais e precisam ser levadas a sério no Brasil (Foto: Shutterstock)

Compartilhe essa notícia:


Cinthia Karina Fonseca

Jornalista

A primeira vez que ouvi falar sobre aquecimento global foi em 2006, quando o então vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore, lançou o documentário “Uma Verdade Inconveniente”. Eu tinha 14 anos. Segundo a obra cinematográfica, o planeta estava esquentando devido às ações do homem, e as mudanças climáticas, consequências destes atos, seriam desastrosas caso não houvesse uma intermediação imediata dos líderes mundiais.

O tempo mostrou que Al Gore estava certo. Presenciamos o aumento dos desastres naturais como terremotos, degelo, aumento do nível dos oceanos, alteração do regime de chuvas e inundações de proporções bíblicas.

Apesar da onda negacionista que contamina boa parte do mesmo planeta, incluindo o Brasil, as mudanças climáticas são uma realidade incontestável. “A mudança climática não é apenas um dos inúmeros problemas que a humanidade enfrenta. É ‘o’ problema”, afirmava o saudoso ambientalista Alfredo Sirkis. Sendo assim, é cada vez mais imperioso governo e sociedade civil tomem medidas para enfrentar e mudar a realidade.

 

Alfredo Sirkis
Alfredo Sirkis, escritor e ambientalista (foto: Reprodução / Internet)

 

Dessa forma, passei a pesquisar sobre como eu poderia fazer a minha parte. Foi quando conheci a Rede Kigali, que tem como objetivo ajudar a reduzir o consumo de energia elétrica dos aparelhos de ar condicionado para que o Brasil aproxime-se das melhores práticas internacionais. Atualmente, uma em cada cinco residências brasileiras possui pelo menos um ar-condicionado. Com o aumento da temperatura do planeta, o número só tende a crescer.


LEIA TAMBÉM:

Emenda de Kigali: Arthur Lira pode melhorar ‘clima’ com EUA

Startups cariocas de educação são pioneiras no mercado on-line

Brasil perde chance de ser líder em transição energética, diz Instituto E+


Ar condicionado contribui para as mudanças climáticas

O aparelho é queridinho do brasileiro, principalmente no verão, mas também um dos principais vilões do meio ambiente devido à emissão de gases com alto potencial de efeito estufa, os hidrofluorcarbonetos (HFCs). Estima-se, aliás, que o ar-condicionado seja o principal item no consumo de energia elétrica no País, o que tem colaborado para o aumento dos picos de demanda de energia – momentos do dia em que há um uso mais intenso de equipamentos elétricos.

Se liga na Conta do Ar Condicionado
Campanha conscientiza sobre os benefícios de aparelhos eficientes (Rede Kigali)

A maior parte da geração de energia no Brasil vem de fontes renováveis. No entanto, muitas vezes é necessário acionar usinas termelétricas, que por sua vez são movidas por derivados de petróleo e acabam liberando gases poluentes na atmosfera.

O que a Rede Kigali se propõe é justamente conscientizar a população para a importância de aparelhos mais eficientes, que são menos poluentes e ainda consomem menos energia. Este ano, lançaram a campanha “Se Liga na Conta do Ar-Condicionado” para orientar sobre as vantagens desse tipo de equipamento para o bolso do consumidor e para o planeta. Pequenas atitudes podem fazer a diferença.