Que tal abrir uma franquia em 2020? Se ligue nas dicas | Diário do Porto

Empreendedorismo

Que tal abrir uma franquia em 2020? Se ligue nas dicas

Pesquisar o segmento, saber quanto investir e analisar se o negócio da franquia é rentável são diferenciais na escolha do futuro franqueado

3 de janeiro de 2020
O negócio de franquias tem riscos, mas controle da qualidade é vantagem grande (Deposit Photo)


Compartilhe essa notícia:


O renascimento da Região Portuária tem atraído grandes empresas e também empreendedores com pouca experiência em busca de um negócio com menos risco. As franquias são uma excelente oportunidade para o investidor. No entanto, como todo negócio, é preciso fazer muita análise – e muito cuidado – antes de mergulhar de cabeça.

Um dos pontos cruciais são os aspectos legais. Por isso, é importante ter conhecimento da Lei nº 8.955/94, que rege o sistema de franquias no Brasil. Todo candidato a uma franquia recebe da empresa a Circular de Oferta de Franquia (COF), uma espécie de raio-x da marca.

Neste documento, constam as informações referentes à empresa, como balanços financeiros dos dois últimos exercícios da franqueadora, valores de investimento e de taxas, suporte oferecido pela franqueadora e política de preços da marca.


LEIA MAIS

Brasil pode produzir remédios à base de canabidiol

Hector Gusmão: “Temos tudo, mas estamos ficando para trás”

Itaboraí: Petrobras torna oficial frustração do Comperj


O DIÁRIO DO PORTO selecionou cinco dicas para quem quer abrir uma franquia:

1. Escolha o segmento que você mais se identifica

Não escolha uma franquia por impulso ou algum segmento “famoso” estar em alta. Este é um perigo recorrente – e também um poço sem fundo de arrependimentos. Ter afinidade com a área de atuação vai facilitar o aprendizado e aumentar sua motivação. Tem algo mais importante para um negócio dar certo do que a animação do dono?

2. Atenção aos documentos

A franqueadora tem a obrigação de apresentar a COF, Circular de Oferta de Franquia. Não abra mão disso. E ela precisa conter as informações pertinentes ao negócio (valores, taxas, prazos, obrigações, exclusividades, fornecedores). Se tiver dúvidas, não deixe nenhuma delas de pé. O documento deve ser analisado junto com um advogado ou um contador. Nem pense em ter preguiça de ler tudo, especialmente as entrelinhas, e garanta que ela seja uma ferramenta para proteção do seu patrimônio.

3. Converse com outros franqueadores

Alvo franchising
As escolhas certas demandam muita pesquisa e conversas

Isto é muito mais importante do que parece. Pesquise, mande e-mails, ligue, insista como um chato. E procure saber tudo e mais alguma coisa sobre a franquia na qual você está de olho. É importante conversar com outros franqueados também para conhecer todos os custos como: taxa de franquia, taxa de royalties e de publicidade. Se você não fizer isso, depois não vá dizer que não foi avisado.

4. Conheça o mercado

Assim como a pesquisa é importante, fazer uma análise minuciosa do mercado é imprescindível. Conheça o público-alvo, afinal, você precisa saber quem vai comprar o seu produto, e essas pessoas precisam estar ao alcance da sua loja. Parece óbvio demais, mas muita gente comete o erro de deixar para pensar no público alvo depois que monta a loja ou o negócio, e às vezes Inês é morta. Não se esqueça também de estudar os concorrentes, como a localização deles, o ponto forte, o ponto fraco, a avaliação geral do público sobre ele.

O quadro abaixo dá uma geral no faturamento de cada um dos principais setores de franquias no país. Ele vai te dar uma ideia sobre os números do mercado brasileiro, mas de nenhuma forma tem informações suficientes para determinar o sucesso do seu negócio. Você pode arrebentar a boca do balão com um setor cujo percentual parece baixo no quadro do país ou dar com os burros n’ água se montar o negócio errado só por ter se impressionado com a força do segmento na economia.

Faturamento das franquias em 2019 e 2018
Franquias tendem a crescer entre 8 e 10% por ano (Fonte: ABF)

5. Avalie os riscos

Não há negócio sem riscos, você sabe, ainda mais em um país com tantas idas e vindas de leis e regulamentações. Investir em franquias também é um caldeirão de incógnitas, mas não é dos mais perigosos, até porque as regras são cada vez mais claras e as ferramentas de avaliação, mais certeiras. Faça uma análise financeira profunda, consulte os especialistas e os franqueados sobre benefícios, vantagens e desvantagens, possíveis dificuldades com a marca e rotinas pertinentes ao negócio.

Nova Lei do Franchising será sancionada

O Projeto de Lei Complementar (PLC) 219/2015 – que se constitui na nova Lei do Franchising – foi recentemente aprovado pelo Senado Federal. O texto, que moderniza o marco legal das franquias no Brasil, depende apenas da sanção presidencial. Quando isso ocorrer, o projeto revogará a atual lei e promete melhorar o sistema de contratação.

De acordo com Hannah Fernandes, diretora jurídica adjunta da ABF Rio, a nova lei veio para proteger ainda mais as partes. “A franquia é um combo do direito da marca e da transferência de know-how. Essa nova lei deixou o conjunto legal mais detalhado. Conseguimos manter as conquistas originais e deixar mais claros alguns pontos, favorecendo o crescimento do sistema. As partes precisam estar cientes das informações que serão contratadas para as práticas do bom franchising”, explicou a diretora.