Projeto Social deixará a Praça Tiradentes | Diário do Porto


Cidadania

Projeto Social deixará a Praça Tiradentes

Secretaria atende pedido de associação e projeto que distribuí refeições para moradores em situação de rua deixará a Praça Tiradentes até a próxima segunda-feira

4 de agosto de 2021

Projeto que distribui comida para Sem-Teto deixará a Praça Tiradentes (foto: DiPo)

Compartilhe essa notícia:


Até a próxima segunda-feira o projeto social que distribui refeições gratuitas para moradores em situação de rua deixará a Praça Tiradentes, no Centro do Rio. A informação foi confirmada ao Diário do Porto pela deputada estadual Marta Rocha após reunião com o secretário estadual de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, Matheus Quintal. A transferência atende ao pedido de moradores e comerciantes do entorno da praça representados pela Associação Polo Novo Rio Antigo.

Segundo a deputada, o secretário ainda não informou qual será o novo local de atendimento aos moradores em situação de rua. Mas afirmou que a partir de outubro o projeto sob responsabilidade da Fundação Leão XIII, autarquia ligada à secretaria, será transferido para o prédio onde funcionava o antigo restaurante popular nas proximidades da Central do Brasil, conhecido como “Bandejão da Central”. “No Bandejão, os moradores em situação de rua poderão se alimentar com mais dignidade. Na Praça Tiradentes faziam suas refeições ao relento. Lá ao menos poderão comer abrigados e usar a estrutura do local”, afirmou a deputada.

Nos últimos dias, a deputada esteve na Praça Tiradentes a pedido dos membros da Associação e ficou preocupada com o que viu. “Aquela região é o corredor cultural do Rio. Ali temos o Teatro João Caetano, o Carlos Gomes, a Estudantina, o Bar Luiz, a Igreja Nossa Senhora da Lampadosa, onde Tiradentes teria feito suas últimas orações antes de ser morto, e o Real Gabinete Português de Leitura. É uma área muito visitada e que recebe muitos turistas. O local não tinha a mínima estrutura para atender o pessoal em situação de rua. Realocá-los dali será melhor  para todos”, completou.


LEIA TAMBÉM:

Fórum apresenta projetos para Baía de Guanabara

ArtRio inicia venda de ingressos, limitados, para edição de 2021

Porto em Maricá terá investimento de R$ 12,8 bilhões


Pandemia agravou a situação dos Sem-Teto no Centro

Nos próximos dias, Marta irá protocolar uma representação na Alerj para realizar uma audiência com representantes das diversas secretarias municipais e estaduais envolvidas com o tema, além de oficiais da Polícia Militar e Guarda Civil Metropolitana, para debater a situação dos Sem-Teto do Centro. Com a pandemia houve um dramático aumento da população de rua na região, o que vem causando diversos problemas sanitários e de segurança pública. O Diário do Porto está em contato com a Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos para que esta informe o destino provisório dos atendidos pelo projeto da Praça Tiradentes.


/