Programa Hortas Cariocas é reconhecido na Europa | Diário do Porto

Cidadania

Programa Hortas Cariocas é reconhecido na Europa

Prefeitura do Rio tem 47 unidades do Hortas Cariocas espalhadas pela cidade. O programa usa terrenos ociosos para a produção comunitária de alimentos

9 de outubro de 2019
Valeu menção honrosa do Pacto de Milão o esforço do Hortas Cariocas (Foto Marcelo Píu/Prefeitura do Rio)

Compartilhe essa notícia:


O Programa Hortas Cariocas, da Secretaria municipal de Meio Ambiente do Rio, ganhou em Montpellier, na França, menção honrosa na categoria Food Production (Sistemas Alimentares Urbanos). O programa carioca concorreu com 104 candidaturas das principais cidades signatárias do Pacto de Milão. O objetivo do premio é replicar bons exemplos de sustentabilidade mundo afora

O Programa Hortas Cariocas foi criado em 2006 com o objetivo de ocupar áreas ociosas em comunidades e em escolas da rede municipal. Popularizar o consumo de alimentos agroecológicos é outra meta. Hoje, o programa conta com 47 hortas espalhadas pela cidade. Elas são mantidas por cerca de 200 hortelãos. A previsão da produção de gêneros alimentícios este ano chega a 70 toneladas.

A receita do sucesso do programa está na premissa de que metade de tudo o que é produzido nas comunidades deve ser obrigatoriamente doado para asilos, abrigos, creches e escolas do entorno, além de moradores em situação de risco alimentar.

A outra metade da produção é comercializada pelas equipes, a preços subsidiados, a fim de promover a geração de renda e sua emancipação da bolsa oferecida pela Prefeitura. Nos últimos anos, 10 hortas já foram emancipadas do programa da Prefeitura.

Experiência em Campos

A tentativa de criar hortas comunitárias em terrenos ociosos é comum em muitas cidades do mundo. No Rio, a experiência foi adotada no início dos anos 1990, no segundo governo Leonel Brizola, pelo então secretário de Agricultura, Anthony Garotinho.

Em Campos, a prefeitura de Rosinha Garotinho, ex-governadora, chegou, em 2011, a 150 hortas comunitárias. O programa consistia em aproveitar terrenos abandonados da cidade, que acumulavam lixo e focos de doença.

Os donos dos imóveis ociosos ficavam isentos do IPTU, e moradores da cidade eram selecionados para cuidar da horta, recebendo ajuda e ficando com parte da produção de verduras e legumes, como acontece na cidade do Rio. O restante ia para as creches, escolas e abrigos.

Crivella comemora

O prefeito Marcelo Crivella comemorou a conquista na França. Além da vitória do Hortas Cariocas, o Programa Cidade pelo Clima foi anunciado dia 2 entre os nove projetos mais inovadores do mundo pelo C40, o grupo de Grandes Cidades para Liderança do Clima. O programa foi criado no âmbito da Secretaria da Casa Civil com o objetivo de enfrentar as mudanças climáticas.

“Este é um momento de celebração para os cariocas. O reconhecimento da comunidade internacional mostra que estamos no caminho certo, ao pensarmos em soluções viáveis e sustentáveis, capazes de colaborar significativamente no combate aos efeitos preocupantes das mudanças climáticas e, ao mesmo tempo, oferecer alternativas de desenvolvimento econômico e social para toda a população”, lembrou Crivella.

O Programa Cidade pelo Clima, criado pela Prefeitura do Rio com o objetivo de enfrentar as severas mudanças climáticas, foi selecionado entre os nove projetos mais inovadores do mundo na área de planejamento climático. O Rio foi a única cidade brasileira vencedora nesta categoria, ao lado de Paris, Nova Iorque, Barcelona, Los Angeles, Vancouver, Manchester, Uppsala e Aarhus. O resultado foi anunciado no último dia 2 de outubro pelo grupo C40 de Grandes Cidades para Liderança do Clima, sediado em Londres. O resultado está publicado no relatório Cities100, disponível na plataforma cities100report.com.