Professor constrói biblioteca comunitária no Morro da Providência | Diário do Porto

Inovação Social

Professor constrói biblioteca comunitária no Morro da Providência

Flávio Ribeiro, morador do Morro da Providência, busca apoio para a biblioteca comunitária. O projeto já conta com mais de 5 mil exemplares doados

12 de abril de 2021


Flávio Ribeiro, morador da Providência, na construção da biblioteca comunitária na favela (Fotos: Arquivo Pessoal)


Compartilhe essa notícia:


Morador do Morro da Providência, o professor Flávio Ribeiro, de 43 anos, é idealizador da mais nova biblioteca da comunidade. Prestes a inaugurar o espaço, ele contou ao DIÁRIO DO PORTO sobre o principal objetivo do projeto: “incentivar a criançada a ler e a entender os seus direitos, a política e a tudo o que acontece ao redor”. O acervo já conta com mais de 5 mil livros.

Flávio, que também é estudante de Direito da Universidade Santa Úrsula, descobriu o poder da leitura após retomar os estudos, em 2013, para concluir o ensino médio. O retorno tardio lhe rendeu bons frutos, ele ganhou um concurso de redação promovido pela Academia Brasileira de Letras (ABL).

 

Flávio Ribeiro
Flávio Ribeiro, idealizador da mais nova biblioteca da comunidade

Exemplo para os jovens do Morro da Providência

Com o reconhecimento, ele planeja usar o próprio exemplo como incentivo. “Nós queremos tirar as crianças das ruas, mostrando um mundo novo com infinitas possibilidades. A través da leitura, do esporte”, conta.

A biblioteca vai ocupar o mesmo espaço onde funciona, desde 2009, o projeto “Mãos à Obra, Providencie: União, Paz, Solução e Construção’’, no qual Flávio é professor e ensina gratuitamente capoeira, boxe, MMA e luta livre para mais de 200 crianças de até 12 anos.

“Ao voltar a estudar, ganhei um prêmio na Academia Brasileira de Letras por uma redação que fiz no colégio. Depois fiquei em segundo lugar no prêmio Oi Casagrande pela produção de um filme sobre a capoeira inclusiva. Completei o ensino médio, com louvor, ganhando dois prêmios de matemática e hoje curso direito. Então acho que sou um exemplo de como a leitura e o estudo transformam, porque se eu não tivesse voltado a estudar, talvez nem estivesse aqui”, conta.

Doação de livros

Flávio tem a opinião de que todos gostam de ler, mas muitas vezes os livros se tornam um objeto caro, frente as necessidades do dia a dia.

“As pessoas na comunidade têm o hábito de ler, mas as vezes é caro. Há livros que custam R$ 50, R$ 100. Todo mundo tem vontade de comprar um, só que muitas vezes é o valor de um botijão de gás, de uma comida para a casa. Mas ninguém para de ler por isso. A biblioteca vai reaproximar as pessoas da cultura, do conhecimento”, explica.

As doações de livros e recursos chegaram após uma campanha nas redes sociais. Com o dinheiro, o espaço está passando por uma reforma, feita por alguns voluntários do projeto.

A ideia de Flávio é deixar o espaço mais convidativo para os leitores do Morro da Providência. Quem quiser ajudar pode entrar em contato pelo telefone (21) 99481-9042.



LEIA TAMBÉM

Portos do Rio faturam 39% a mais no primeiro bimestre

Hemorio incentiva doações de sangue com desconto em transportes

Firjan-Sesi cria mais 800 vagas gratuitas em Pré-Enem