Carnaval: prefeito não dará verba ao Grupo Especial | Diário do Porto

Carnaval

Carnaval: prefeito não dará verba ao Grupo Especial

Perguntado quanto a Prefeitura repassará de verba às escolas do Grupo Especial, presidente da Ritour responde: “É certo afirmar que nada.”

30 de agosto de 2019


A campeã Mangueira no sambódromo: desfile com nota máxima em 2019 (foto Fernando Grilli/Riotur)


Compartilhe essa notícia:


Parece que é para valer. O presidente da Riotur, Marcelo Alves, disse ao jornal O Globo que não haverá mesmo verba da Prefeitura para as escolas de samba do Grupo Especial no carnaval 2020. Para o Carnaval de 2019, cada escola recebeu R$ 500 mil do Município.

Marcelo Alves admitiu que não há previsão de data para a transferência da gestão do Sambódromo para o governo estadual. A intenção já foi manifestada diversas vezes pelo governador Wilson Witzel, mas, de concreto, até agora, nada. A indefinição leva tensão aos dirigentes, carnavalescos e milhares de trabalhadores na Cidade do Samba, na Gamboa, onde ficam os barracões que preparam fantasias e alegorias para o desfile.

Briga com Organizações Globo

O fim dos subsídios às escolas de samba é mais um capítulo da revisão que Crivella tem promovido em relação ao repasse de verbas para as Organizações Globo. O prefeito já se manifestou diversas vezes contra o fato de a TV Globo lucrar com a transmissão do desfile, enquanto a Prefeitura patrocina as escolas.

Nesta quinta-feira, em resposta a uma carta pública pedindo o não fechamento dos museus do Amanhã e de Arte do Rio (MAR), Crivella voltou a acusar a Fundação Roberto Marinho de ter recebido verbas para gerir os museus sem concorrência. Veja a matéria clicando aqui.


LEIA TAMBÉM:

Bate papo grátis com Laurentino sobre Trilogia da Escravidão

Leia carta a Crivella para não fechar museus. Ele acusa o grupo Globo

5 dicas do DIÁRIO para o fim de semana


Na entrevista, Marcelo Alves comentou que existe uma disputa de verbas municipais pela Lierj, a liga que organiza a Série A, o grupo de acesso, e a Liesb, a liga que organiza os desfiles da Intendente Magalhães, na Zona Norte. “Está dentro do nosso orçamento por ser um evento sem bilheteria, idem as escolas mirins”, disse o presidente da Riotur.

Quando o repórter perguntou: “E para as agremiações do Grupo Especial?”, Marcelo Alves não deixou dúvidas na resposta: “É certo afirmar que nada. Eu tenho uma posição dele (o prefeito Marcelo Crivella) de que não haverá subvenção.” Veja a entrevista na íntegra clicando aqui.