Precariedade da Supervia na mira da Alerj | Diário do Porto


Infraestrutura

Precariedade da Supervia na mira da Alerj

CPI da Assembleia Legislativa analisa multa aplicada por agência à Supervia pela precariedade do serviço prestado à população

10 de abril de 2022

Deputada Lucinha diz que CPI foi importante para evitar aumento da passagem

Compartilhe essa notícia:


A CPI dos Trens, instaurada pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), vai discutir, nesta segunda-feira 11 a multa de mais de R$ 2 milhões aplicada recentemente à Supervia pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Concedidos de Transportes do Estado do Rio de Janeiro (Agetransp), em função da falta de investimentos e da precariedade do serviço prestado à população.

Quem usa a Supervia diariamente conhece os problemas que levaram a Agetransp a decidir pela multa. Melhorar o sistema é muito importante para a mobilidade dos cariocas e fluminenses e também para a qualidade de vida na região central da cidade. A Central do Brasil tem um dos maiores movimentos de passageiros do país.

Foram convidados a participar da audiência desta segunda-feira o presidente da agência, Murilo Leal, e o secretário de Estado de Transportes, André Luiz Nahass. O encontro será a partir das 10h30 na sala 1808 da sede da Alerj, com transmissão ao vivo pela TV Alerj.

Tráfico em estações

A presidente da comissão, deputada Lucinha (PSD), diz qu os problemas da Supervia estão longe de se limitar ao roubo de cabos. “Tem a questão dos dormentes deteriorados, a malha ferroviária destruída e ainda faltam banheiros nas estações e acessibilidade”, diz a deputada.

A CPI, ressalta Lucinha, tem tido resultados importantes. “Graças esse trabalho, foi possível manter a tarifa atual de R$ 5 até o fim das discussões. É uma vitória para o usuário. As denúncias de que 12 estações do sistema ferroviário estão sob o poder do narcotráfico vieram também a partir das apurações do Parlamento”, disse.

LEIA TAMBÉM:

Nissan faz 8 anos em Resende e investe R$ 1,3 bi

MSC Prezioza se despede e Píer Mauá abre para eventos

Guerra acelera busca por energias poluentes, diz Margulis


/