Megaleilão do pré-sal adiado ameaça contas do governo | Diário do Porto


Brasil

Megaleilão do pré-sal adiado ameaça contas do governo

Adiamento para 6 de novembro é mais uma má notícia para governos federal, estaduais e municipais, que contam com megaleilão do pré-sal para cumprir metas

24 de junho de 2019

STF dá vitória ao Rio e impede prejuízo de R$ 8 bi em royalties de petróleo (divulgação)

Compartilhe essa notícia:


O simples adiamento por uma semana do megaleilão do pré-sal, de 28 de outubro para 6 de novembro, pode colocar em risco as contas públicas em 2019. O governo precisa do dinheiro para cumprir a meta fiscal, e ele pode não entrar este ano. A mudança, feita pela ANP (Agência Nacional do Petróleo), afeta estados e municípios, muitos deles do Rio de Janeiro, que já sonham com os recursos do leilão do pré-sal.

O alerta é do jornal O Globo, em reportagem de Manoel Ventura. Dos R$ 106 bilhões previstos, segundo o jornal, a estatal vai receber R$ 33,6 bilhões do megaleilão do pré-sal, e R$ 21,7 bilhões vão para os governos regionais. A proposta, aprovada na Câmara e em análise pelo Senado, destina R$ 50 bilhões ao governo federal.

 


VEJA TAMBÉM:

Think Rio ESPM quer unir pensadores e gestores

Odebrecht, em recuperação judicial, cobra Caixa por obras no Porto

Baía de Guanabara: Gás Verde é denunciada por derramar chorume


 

Técnicos do Ministério da Economia ouvidos pelo Globo avaliam que o resultado das contas públicas deste ano pode chegar a R$ 139 bilhões, maior do que os R$ 120,3 bi de 2018. A frágil recuperação econômica piora a arrecadação tributária. A expectativa de 2,5% de crescimento já caiu para 0,93%, segundo o Banco Central no boletim Focus.


/