Prainha terá primeiro quiosque do Rio com energia solar | Diário do Porto


Sustentabilidade

Prainha terá primeiro quiosque do Rio com energia solar

Investimento na Prainha quer tornar mais sustentável o abastecimento de energia na praia que integra um Parque Natural Municipal

21 de junho de 2022

Prainha tem selo internacional de qualidade ambiental (Foto: Prefeitura do Rio/Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


A Prainha, na Zona Oeste do Rio, terá o primeiro quiosque de praia a contar com geração solar de energia elétrica. A iniciativa ocorre numa das praias mais preservadas da cidade. Ela detém a Bandeira Azul, selo internacional de qualidade, junto com a Praia da Reserva, também na Zona Oeste do Rio.

O sistema off grid (fora da rede elétrica), instalado pela SolarOn com equipamentos Renovigi, tem capacidade de 5.4kWp e conta com dez painéis fotovoltaicos e duas baterias para armazenar a energia que será usada quando não há sol. O investimento foi de R$ 77 mil e vai permitir ao quiosque Layback Soul Prainha Rio instalar uma chopeira, geladeira e freezer.

Um dos sócios do quiosque LayBack, Bill Tassinari comenta que aproveitou o momento de modernização do espaço para trazer um sistema mais eficiente de geração de energia limpa, adequado à importância da área de conservação do Parque Natural Municipal da Prainha. “Inovamos no quiosque, mas sem perder a essência do parque e de toda a cultura de preservação do meio ambiente que temos aqui na região. Esperamos que ações como essas possam servir de exemplo e motivar outros quiosques a adotarem iniciativas similares”, afirmou.


LEIA TAMBÉM:

Enel não deve ter concessão renovada automaticamente

Rio receberá workshop MIT Reap, em 2023

Sesc RJ na Estrada revela a Rota 154, em Sapucaia


Prainha se torna pioneira em energia solar nos quiosques

De acordo com Pedro Jacques, diretor da SolarOn, a energia solar ganha cada vez mais adeptos no Rio de Janeiro. Por mês, a empresa faz cerca de 60 instalações, 80% delas para pessoas físicas. “Existem diversas linhas de financiamento para a instalação do sistema, que, após o investimento inicial, vai trazer enorme economia. Além do custo, existe também o aspecto ambiental, importante para muitas empresas e pessoas físicas”, explica o diretor da empresa.

Apesar dos sistemas fotovoltaicos off grid serem mais utilizados em áreas rurais, eles também podem ser uma alternativa para as cidades, em regiões fora da rede elétrica, como a do quiosque. Gustavo Martins, CEO da Renovigi, comenta que quem adota esse sistema passa a ser gerador de sua própria energia, de forma limpa e sustentável. “Com a popularização das baterias, os sistemas de geração off grid vão se tornar cada vez mais acessíveis. Além do aspecto sustentável, tem um enorme ganho de economia, já que não haverá custo de energia para o proprietário após o investimento inicial”, conclui Martins.


/