Porto do Açu bate recorde em cargas e quer apoio do Estado | Diário do Porto


Portos

Porto do Açu bate recorde em cargas e quer apoio do Estado

No 1º semestre, 804 mil toneladas de granel mineral foram movimentadas. Porto do Açu pedirá ao governador apoio em infraestrutura logística

26 de julho de 2021

Porto do Açu teve recorde de movimentação de cargas no primeiro semestre de 2021 (Foto: Divulgação)

Compartilhe essa notícia:


Após bater recorde de volume de movimentação no Terminal Multicargas no primeiro semestre de 2021, o Porto do Açu busca apoio do Governo do Estado para potencializar seus resultados. Executivos da empresa apresentarão ao governador Cláudio Castro, na primeira semana de agosto, uma lista com os principais pontos que podem alavancar ainda mais o empreendimento. “O fato de o Porto do Açu estar no radar das prioridades do Governo do Rio é fundamental”, afirmou José Firmo, CEO da Porto do Açu Operações.

Representantes da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico e do Porto do Açu se reuniram para alinhar novas parcerias para o desenvolvimento da Região Norte Fluminense. Entre os temas abordados no encontro on-line estiveram alternativas de infraestrutura logística para a região e projetos que visam inserir o Estado na agenda da transição energética.

“O Porto do Açu tem o potencial de transformar o Estado. Atualmente, são 7 mil empregos diretos e R$ 22 bilhões de investimentos pela frente, com grandes oportunidades de novos projetos na área e efeitos multiplicadores para a economia fluminense”, disse o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Vinicius Farah.

Porto do Açu: cargas de granel mineral

De janeiro a junho de 2021, o Terminal Multicargas do Porto do Açu movimentou 804 mil toneladas, número maior do que o registrado durante todo o ano de 2019, até então o recorde de movimentação do terminal. A operação que marcou o resultado foi finalizada em 1º de julho, com a movimentação de 51,5 mil toneladas de granel mineral, pelo Navio Bulk Destiny, vindo de Houston (EUA), com destino a cimenteiras localizadas em Minas Gerais e no Rio de Janeiro.

No último semestre, o terminal bateu recordes de movimentação mensal em dois meses: janeiro, com 165 mil, e maio, com 170 mil toneladas, reforçando a evolução contínua de resultados. Um novo recorde é esperando ainda no terceiro trimestre do ano, dessa vez no mercado de produtos para o setor de agronegócio.

“Com o aquecimento da safra agrícola, a expectativa é bater um milhão de toneladas ainda no terceiro trimestre”, projeta João Braz, diretor de Terminais e Logística da Porto do Açu Operações.


LEIA TAMBÉM:

Nova lei reduz ICMS de bares e restaurantes

Rio de Mãos Dadas, da Fecomércio RJ, já chegou a 18 cidades

Itatiaia pode ter neve, com nova frente fria no Rio


Porto do Açu teve R$ 13 bilhões em investimento

De acordo com Braz, o terminal conta, atualmente, com 39 clientes e 15 produtos e, em 2020, “colocou o Rio de Janeiro no mapa de fertilizantes no país”. Em operação desde 2016, o terminal opera sem fila para atracação. Possui 360 metros de cais (que podem ser expandidos para 500m). Há planos de ampliar a retroárea para construção de pátio de graneis, pátio dedicado para cargas gerais e pátio de contêineres, além de novos galpões dedicados para armazenamento.

Em operação há 7 anos, com 10 Terminais de Uso Privado (TUPs), o Porto do Açu, resultado de R$ 13 bilhões de investimentos, é o único empreendimento portuário totalmente privado do país.

É responsável por 25% da movimentação de petróleo nacional, possui o quarto terminal em movimentação de minério do Brasil, constrói o maior parque termelétrico da América Latina e conta com 15 empresas já instaladas.