Evento

Píer Mauá se prepara para o Congresso Mundial de Arquitetos

Membros da União Internacional de Arquitetos estiveram no Pier Mauá e aprovaram o local do Congresso Mundial, que terá 20 mil profissionais de vários países

26 de janeiro de 2020
Arquitetos membros da UIA visitam o Pier Mauá, local será o centro do Congresso Mundial de Arquitetos (Foto: DiPo)

Compartilhe essa notícia:


O ano de 2020 chegou e com ele o Rio de Janeiro se tornou a Capital Mundial da Arquitetura. Até 31 de dezembro a cidade deterá o título concedido pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) por ser a sede do 27º Congresso Mundial de Arquitetos. O Congresso, que acontece a cada 3 anos e pela primeira vez é realizado no Brasil, é organizado pela UIA (União Internacional de Arquitetos) e pelo IAB (Instituto dos Arquitetos do Brasil). Os membros da UIA vieram ao Rio para conhecer o espaço que sediará o congresso: O Pier Mauá.

Serão 4 armazéns ocupados pelo Congresso que contará também com a UIA2020RIO Expo, uma feira em que empresas apresentarão ao público as novidades e inovações em materiais e equipamentos para arquitetura, mobilidade urbana, mobiliário e inovação. O evento contará com 200 expositores, 40 horas de palestras, 10 mesas de rodadas de negociações e aproximadamente 20 startups. Espera-se um público de 20 mil pessoas para o congresso, a maioria será de profissionais da área.

Presidente do comitê organizador, o arquiteto e urbanista Sérgio Magalhães acredita que além de dar maior visibilidade aos arquitetos nacionais, o congresso vai incentivar brasileiros, e especialmente cariocas, a reconhecerem a importância de as cidades serem bem planejadas, para contar com boa infraestrutura.

Professor-adjunto do curso de graduação em arquitetura e urbanismo da FAU/UFRJ e ex-presidente da IAB, Magalhães vê o tema do Congresso “Todos os mundos. Um só mundo. Arquitetura 21”, como uma oportunidade para que a sociedade valorize mais os espaços públicos e as cidades.

“Tanto o congresso, quanto a capital mundial, objetivam colocar o tema da cidade, do espaço construído, da arquitetura em diálogo com a sociedade para que as pessoas, reconhecendo os seus espaços e conhecendo a importância deles possam ajudar a preservá-los, aumentar a sua estima pela cidade e, portanto, melhorando o ambiente”, afirma Magalhães.

Buscando a redução das desigualdades

Thomas Vonier, presidente da UIA
Thomas Vonier, presidente da UIA, acredita que o Rio foi a “escolha perfeita” para sediar o Congresso (Foto: DiPo)

Thomas Vonier, arquiteto e presidente da UIA, acredita que as grandes cidades enfrentam desafios que podem ser solucionados pela arquitetura, em conjunto com os governantes.

“O mundo tem mais de 7,5 bilhões de pessoas e uma grande parte vive na pobreza e em situações muito difíceis. É importante encarar a realidade que as grandes cidades enfrentam. Sim, temos muitas pessoas que vivem bem e de forma saudável, mas temos muitas cidades onde os moradores não têm essas coisas. E isso é um desafio para todos nós”, diz Thomas.

A escolha do Rio de Janeiro como sede do Congresso foi uma decisão coerente, segundo o arquiteto. Para Thomas, o Rio é uma cidade composta de diferentes perfis e abrange problemas comuns a qualquer grande cidade: “Qual o melhor lugar que não o Rio, onde nós temos toda a beleza e toda a oportunidade do mundo, mas também temos muitos desses problemas? Então é a escolha perfeita. A cidade é cheia de vida e de pessoas jovens, uma tremenda beleza natural e uma bela história, mas também é uma cidade que tem os problemas que precisamos enfrentar no mundo”.

Do outro lado do mundo o problema é outro

Direto de Macau, ex-colônia portuguesa na China, Rui Leão, arquiteto e presidente do Conselho Internacional dos Arquitetos de Língua Portuguesa (CIALP), acredita que o Congresso é uma plataforma de projeção global para a rede de arquitetos ligados à entidade. “Principalmente para o Brasil, acho que é muito importante, porque é um país que fez muito pela arquitetura, tem uma contribuição incomensurável para todos os aquitetos”, afirma Rui.

Arquiteto Rui Leão, de Macau
Arquiteto Rui Leão, de Macau, é presidente do Conselho Internacional dos Arquitetos de Língua Portuguesa (Foto: DiPo)

Macau precisa lidar com uma quantidade gigantesca de turistas todos os anos, o que é um desafio. “Desde 2013, Macau tem acima de 30 milhões de turistas por ano, equivalente a quantidade de turistas na França. Somos uma cidade muito pequena, bem menor que o Rio, mas o turismo tem uma escala enorme. E isso exige uma tremenda infraestrutura”, explica o arquiteto.

A revitalização da região do Porto Maravilha é algo que Rui exalta como um belo exemplo para outras cidades. “O trabalho que foi feito para reconquistar essa área do Rio foi super importante e também inovador porque não é só construir, mas desconstruir”, ressalta.


LEIA MAIS

UERJ terá navio de pesquisa e vai monitorar Baía de Guanabara

Veleiro da Rússia, no Rio, comemorou descoberta da Antártida

Congresso Mundial de Arquitetos será no Pier Mauá


O Congresso Mundial de Arquitetos será sediado na cidade entre os dias 19 e 23 de julho. O Fórum Mundial de Cidades acontecerá nos dias 17 e 18 de julho. Ambos integram a programação do UIA2020RIO. Para este fórum são convidados os prefeitos das 26 cidades que sediaram o congresso anteriormente, além dos prefeitos do Rio de Janeiro, atual sede, e de Copenhagen (Dinamarca), próxima cidade que sediará o evento. Prefeitos das principais cidades brasileiras e das mais importantes metrópoles do mundo também estar presentes.

Mesmo sendo centralizado no Pier Mauá, o UIA2020RIO também acontecerá em outros locais da cidade como Palácio Gustavo Capanema e Museu de Arte Moderna. Os 5 dias de evento serão contemplados com seminários, exposições de arte e iniciativas culturais e mais de 150 palestrantes de diversos países.

Diferentes personalidades fazem parte do Comitê de Honra do evento e representam a arte brasileira: os arquitetos Paulo Mendes da Rocha e Jaime Lerner, a editora Marisa Moreira Salles, o embaixador e escritor de Arquitetura André Correa do Lago e Gilberto Gil.

De olho no próximo Congresso

A arquiteta Annette Blegvad é uma das organizadoras da UIA2023CPH, próximo Congresso Mundial de Arquitetos que será sediado em Copenhagen, em 2023. O tema do próximo Congresso será “Design para um Futuro Sustentável”.

Segundo Annette, “a sustentabilidade vai ser o foco do próximo congresso e vamos tentar fazer um congresso totalmente sustentável. Discutiremos tudo o que pretendemos fazer para impedir o desperdício de lixo e comida no mundo. Também iremos discutir como a arquitetura pode contribuir para termos um mundo melhor. Nós estamos em uma emergência e temos que nos apressar para fazer a coisa certa e salvar o planeta”.