Petrobras recontrata sonda da Ocyan por mais 3 anos | Diário do Porto

Petróleo e Gás

Petrobras recontrata sonda da Ocyan por mais 3 anos

Capaz de operar em mais de 3 mil metros de profundidade, plataforma da Ocyan já trabalha há 10 anos para Petrobras. Setor está sendo reaquecido, diz ANP

12 de julho de 2021


Carla Malafaia é uma das comandantes da sonda Norbe IX (Divulgação)


Compartilhe essa notícia:


A maré está novamente a favor dos negócios de exploração de óleo e gás no Brasil, uma boa notícia para a economia fluminense. Relatório da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) aponta que para 2021 estão previstos investimentos de mais de R$ 6,4 bilhões em atividades exploratórias. Ao todo, poderão ser perfurados até 38 novos poços (18 em mar e 20 em terra), mais do que o dobro dos 16 perfurados em 2020.

Um sinal da retomada das atividades de óleo e gás, após o dramático 2020, é a recontratação, pela Petrobras, da sonda Norbe IX, pertencente à Ocyan(antiga Odebrecht Óleo e Gás) para afretamento e serviços de perfuração de poços por um período de três anos, a partir do primeiro trimestre de 2022, quando completa 10 anos a serviço da estatal.

O custo diário da sonda deverá custar U$ 179,5 mil por dia à estatal, algo em torno de US$ 196,5 milhões pelos 1.095 dias do contrato, um pouco abaixo do previsto na proposta original. Os valores precisos, entretanto, não foram oficialmente divulgados pela contratada nem pela contratante. Participaram também da licitação as empresas Constellation, Valaris, Sacambe Offshore, Transocean e Ventura (Petroserv).

Sonda Norbe IV da Ocyan
A Norbe IX, plataforma de perfuração da Ocyan, está atualmente operando na costa de Búzios (Foto Divulgação)

Sediada no Porto Maravilha, a Ocyan tem outras outras quatro sondas de perfuração em águas profundas, todas contratadas pela Petrobras ou por empresas a ela consorciadas, além de dois FPSO (floating, production, storage and offloading) da joint venture Altera&Ocyan. O novo contrato é a terceira conquista consecutiva da Ocyan em 2021.

Em janeiro, a Norbe VIII foi recontratada pelo Consórcio de Libra (Petrobras, Shell, Total, CNODC e CNOOC) por 425 dias, começando este mês. Já em fevereiro, a Ocyan ganhou licitação e iniciou no mesmo mês a manutenção das plataformas de Merluza e Mexilhão. O contrato tem validade de três anos, renovável por mais dois. Para o projeto, cerca de 220 trabalhadores foram contratados, número que pode chegar a 700 profissionais ainda neste ano.

“A nova conquista consolida a excelência operacional da empresa que teve em 2020 um ano histórico com resultados excepcionais de performance e segurança. Temos construído uma trajetória de eficiência e maturidade na operação de sondas de perfuração no Brasil”, comemora Heitor Gioppo, vice-presidente da Unidade de Perfuração da Ocyan.

Mulheres no comando da Norbe IX

Construída em 2011, a Norbe IX é uma plataforma de perfuração com posicionamento dinâmico, capaz de operar em lâmina d’água de até 3.048 metros e perfurar poços até 12.195 metros. No momento, a sonda está na costa de Armação dos Búzios, na Bacia de Santos. Entre o final do atual contrato e o início do novo, a Norbe IX passará por manutenção e adequação para atender às exigências do novo contrato.

Na equipe de mais de 170 integrantes da sonda, 12 mulheres se destacam por superarem o estereótipo masculino do setor. Uma delas é a comandante Carla Malafaia, que festejou a marca de 6 anos sem acidentes com afastamento a bordo em agosto do ano passado. Elas representam 6% de toda a tripulação, mas a Ocyan quer aumentar essa quantidade de mulheres a bordo nos próximos anos.


LEIA TAMBÉM

Potencial de consumo de gás natural no RJ será mapeado

Otimismo com próximos meses anima comércio do Rio

Sou+Carioca revela o Rio até para seus moradores


Otimismo na Ocyan com retomada

A Ocyan prevê aumento na demanda por sondas e espaço para operar ativos de terceiros, como sondas de companhias que faliram e acabaram assumidas pelos credores nos últimos anos. Novos contratos para prestar serviços como perfuração de poços, manutenção em alto-mar e soluções submarinas às companhias privadas que estão ampliando investimentos no Brasil também estão no radar da Ocyan.

“No ano passado, o cenário de perfuração mundial sentiu muito o efeito da queda no preço do petróleo, houve sobre-oferta de sondas. Mas, à medida em que os preços foram se recuperando, o setor começou a retomar das decisões finais de investimento em grandes projetos e a recontratar”, disse o presidente da empresa, Roberto Bischoff, ao Valor Econômico.

O relatório da ANP destaca que as atividades de perfuração representarão a maior parcela de investimentos na fase de exploração neste ano, somando mais de 80% dos recursos totais previstos (R$ 5,2 bilhões). Caso esses 38 poços sejam efetivamente perfurados até o final do ano, esse número será o maior dos últimos cinco anos, superando, por exemplo, o ano de 2019 quando foram perfurados 27 poços (8 em mar e 19 em terra).