Motociclistas são principais vítimas de acidentes de trânsito | Diário do Porto


Mobilidade

Motociclistas são principais vítimas de acidentes de trânsito

Leonardo se recupera de um acidente de trânsito: os motociclistas já representam 47,7% das vítimas no Estado do Rio e 44% na capital

25 de outubro de 2018

Acidentes de moto são a principal causa de morte no trânsito do país (Reprodução de internet)

Compartilhe essa notícia:


Acidentes no trânsito: motocilistas são principais vítimas (ginasanders/D.Photo)
Acidentes no trânsito: motociclistas são principais vítimas (Ginasanders/D.Photo)

O professor de Geografia Leonardo Paschoal Pereira, de 30 anos, acaba de completar dois anos de carteira categoria A, habilitado a dirigir motocicleta. No dia 29 de setembro, na Quinta da Boa Vista, foi fechado por um carro e acabou ferido. Com cortes profundos na mão esquerda e fratura no polegar, não pode mais dirigir. Terá que fazer fisioterapia um ano para recuperar o movimento do dedão.

Foi a terceira vez que Leonardo se envolveu em um acidente de moto. As outras duas foram quedas leves. Ele faz parte de estatísticas preocupantes. Os motociclistas já são um terço das 37 mil mortes por ano em acidentes de trânsito no Brasil. No Estado do Rio de Janeiro, representaram 47,7% das vítimas de acidentes em 2017, segundo recente estudo do Corpo de Bombeiros.

Somente na capital, os motociclistas já são 44% das vítimas socorridas pelos bombeiros nas ruas: um total de 9.747, sendo que um terço (29,7%) morreu no próprio local ou na emergência. O problema levou a Prefeitura do Rio a lançar uma campanha para chamar a atenção da população. Conheça a campanha clicando aqui.

“Durante muito tempo, o pedestre foi a principal vítima do trânsito, até porque é o elemento mais vulnerável. Porém, essa realidade vem se modificando e o motociclista passou a ser a maior vítima”, destaca Mauro Ferreira, coordenador de Educação no trânsito da CET-Rio.

O Rio demorou um pouco para acompanhar essa tendência nacional. “Mesmo quando algumas capitais já registravam essa mudança, por aqui ainda tínhamos o pedestre como a maior vítima. Mas os dados dos últimos anos mostram que os casos envolvendo motociclistas superaram os de pedestres”, analisa.

Leonardo fez stories no Instagram para contar detalhes do acidente. Veja:

 

 

‘Motociclista deve sempre ter mais prudência’

Leonardo acidente moto
Leonardo sofreu um acidente de moto e agora faz fisioterapia (Álbum de Família)

Leonardo falou também com o DIÁRIO DO PORTO. Disse que o acidente reforçou um aprendizado de seu dia-a-dia. “No trânsito você deve dirigir por você e pelos outros”, afirmou. Confira o depoimento:

“Um motorista em um carro de passeio fez uma conversão proibida e atravessou o carro dele na minha pista. Eu bati na porta do carona. Estava no meu horário de lazer. Para que não ocorra sequelas, terei que fazer fisioterapia por um ano provavelmente.

A lição que fica é a de que dirigir requer uma atenção contínua. Você deve dirigir por você e pelos outros. Ficou muito claro para mim que determinadas situações acontecem sem nossa participação. Eu abandonei a moto. Se não fizesse isso, teria que investir mais em equipamentos, como jaqueta, calça específica, luva etc.

A mensagem que eu deixaria é a de que o motociclista deve sempre ter mais prudência do que qualquer outra pessoa no trânsito, já que ele acaba ficando mais exposto. Aos motoristas imprudentes, diria que um ato pode tirar uma vida, ou afetar a vida de alguém que gere sequelas para sempre. Queria, inclusive, que o motorista que me causou o acidente tivesse acesso a essa pesquisa. Ele mesmo não prestou socorro, e se mostra negligente desde então.”

VEJA TAMBÉM:

Cursos gratuitos formam e atualizam mototaxistas

Blitz educativa no Centro chama atenção para acidentes


/