Paulista vence concurso para Museu da Marinha no Rio | Diário do Porto


Museus

Paulista vence concurso para Museu da Marinha no Rio

Museu Marítimo da Marinha será erguido na Praça XV, no centro do Rio. Projeto de arquiteto paulista é o vencedor do concurso

10 de agosto de 2021

Vista aérea do projeto do futuro Museu Marítimo da Marinha na Praça XV (divulgação/Museu Marítimo do Brasil)

Compartilhe essa notícia:


O arquiteto e urbanista paulistano Rodrigo Quintella Messina foi eleito o vencedor do Concurso de Arquitetura para o Museu Marítimo do Brasil, equipamento que será construído no Espaço Cultural da Marinha, localizado próximo à Praça XV, no Centro do Rio. O anúncio foi feito pelo Departamento Cultural do Abrigo do Marinheiro (DCAMN), em parceria com a Marinha do Brasil, e o Departamento do Rio de Janeiro do Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB/RJ), os órgãos responsáveis pelo concurso

Ao todo, 191 equipes de 17 estados do País candidataram-se para enviar projetos – um recorde na história das chamadas públicas do IAB/RJ. Além do vencedor, foram anunciados os premiados com as segunda e terceira posições, sob a liderança de Nonato Veloso (Brasília – DF) e Álvaro Puntoni (São Paulo – SP), respectivamente. Quintella Messias explica o conceito do projeto vencedor

“O título da proposta é “Convocar o comum das águas”. O projeto procurou retomar a proximidade com a água e o que ela pode representar como espaço comum entre as diferenças. A água é inconstante, varia todos os dias, aproxima e afasta as pessoas, os continentes, os animais. Queremos reivindicar essa relação. A gente tira partido do imaginário portuário: os visitantes terão que atravessar a água para entrar no Museu Marítimo do Brasil, como quem entra em uma embarcação para encontrar diferentes culturas”, afirmou.

Projeto de arquiteto paulista vence concurso para Museu Marítimo da Marinha (divulgação)

O objetivo deste novo equipamento, que tem uma proposta conceitual inédita e de caráter nacional, é estimular o conhecimento sobre a história marítima que está intrinsecamente ligada à formação do país, destacando o mar e os rios como instâncias culturais, simbólicas e míticas. O museu fará parte de um complexo de centros culturais existentes na área central do Rio, como o Museu Histórico Nacional, o Centro Cultural do Banco do Brasil, a Casa França-Brasil, o Museu de Arte do Rio (MAR) e o Museu do Amanhã.


LEIA TAMBÉM:

Casa Villarino reabre sob direção do Senac RJ

Gruta do Amor, em Arraial do Cabo, é cenário do Sesc RJ na Estrada

Autonomy planeja uso residencial no Moinho Fluminense


Museu da Marinha terá projeto inovador

Foram destinados R$ 100 mil para serem distribuídos entre os três primeiros lugares: o vencedor vai receber R$ 50 mil, enquanto o segundo lugar recebe R$ 30 mil e o terceiro, R$ 20 mil.

A intenção do DCAMN e do IAB/RJ era obter uma proposta arquitetônica inovadora para o Museu Marítimo do Brasil, capaz de afirmar a excelência da arquitetura contemporânea brasileira e agregar valor tanto à edificação quanto ao entorno urbano em que ela estará inserida.

Ideia é que visitantes do museu “naveguem” em uma embarcação em alto-mar (divulgação)

O Projeto Museu Marítimo do Brasil – Fase 1 – é realizado pelo DCAMN, Marinha do Brasil e pelo IAB/RJ, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura, da Secretaria Especial de Cultura do Ministério do Turismo. O projeto conta com o patrocínio das seguintes organizações Empresa Gerencial de Projetos Navais (EMGEPRON), Wilson Sons, Qualicorp, da Companhia de Navegação Norsul, Granado Pharmacias, além do apoio do Conselho Nacional de Praticagem do Brasil (Conapra).


/