Parque Estadual da Pedra Branca amplia reflorestamento | Diário do Porto

Sustentabilidade

Parque Estadual da Pedra Branca amplia reflorestamento

Parque Estadual da Pedra Branca receberá 1.500 mudas de espécies da Mata Atlântica até o final do ano. Parque tem áreas em 17 bairros da Zona Oeste do Rio

5 de abril de 2021
Parque Estadual da Pedra Branca, no Rio, vê a volta do tucano-do-bico-preto (foto: Inea / Divulgação)


Compartilhe essa notícia:


Até o final do ano, serão plantadas 1.500 mudas de árvores nativas da Mata Atlântica no Parque Estadual da Pedra Branca, na Zona Oeste do Rio. A área reflorestada fica em região castigada por incêndios no bairro de Realengo. Os trabalhos são coordenados pelo Instituto Estadual do Ambiente (Inea).

A restauração florestal no Parque Estadual da Pedra Branca é realizada numa região do núcleo Piraquara do parque, que, ao todo, possui 12.500 hectares de área e abrange partes de 17 bairros do Rio. Desde 2015, quando o plantio de mudas começou a partir da iniciativa de uma moradora do entorno do parque, já foram recuperados 6 hectares com o plantio de 5.500 mudas.

No dia 11 de março, foi realizado o plantio de 300 mudas e de cem sementes de espécies, dentre as quais Açoita-Cavalo, Pau-Pólvora, Bacupari, Pitanga, Aroeira Pimenteira, Ingá, Mutamba, Guapuruvu e Pau-d’Alho.

O plantio é feito em mutirão com voluntários que atuam na trilha Transcarioca, do Centro Excursionista Guanabara e do grupo Voluntários Engajados; as mudas são doadas pela Companha Estadual de Águas e Esgotos (Cedae).

Pedra Branca tem volta do tucano-de-bico-preto

Ao longo do Rio Piraquara e de suas nascentes, o Inea também realiza a reintrodução do palmito Jussara, espécie ameaçada de extinção. Já foi realizado o plantio de 35 mudas, e a previsão é chegar a cem mudas até o final do ano.

A recuperação da Mata Atlântica nesse trecho do Parque Estadual da Pedra Branca, em Realengo, trouxe de volta uma espécie da fauna que há muito não era vista nessa localidade: o tucano-de-bico-preto (Ramphastos vitellinus).

Segundo o secretário de Estado do Ambiente, Thiago Pampolha, “o tucano-de-bico-preto (foto abaixo) é o principal dispersor de sementes do palmito Jussara. Então, a ideia é de que, com o aumento da oferta de alimento, devido a esse trabalho de reflorestamento, haja um crescimento da população dessa espécie de ave”.

O Parque Estadual da Pedra Branca é considerado uma das maiores unidades urbanas de conservação natural do mundo. Está presente nos bairros de Vargem Grande, Vargem Pequena, Barra de Guaratiba, Campo Grande, Santíssimo, Senador Camará, Padre Miguel, Bangu, Realengo, Sulacap e Taquara, entre outros.


LEIA TAMBÉM:

Açu terá investimento privado em tancagem de petróleo

Prefeitura faz campanha Rio Contra a Fome na vacinação

Voos internacionais no Centro do Rio podem enterrar o RIOGaleão